Internacionalização na América Latina promovida em Alenquer

Etiquetas: , ,
___________________________________________________________________________________

A Câmara Municipal de Alenquer organizou, a 18 de outubro, com o apoio da Casa da América Latina, o 2º encontro temático “Exportação e Internacionalização”, dedicado à América Latina em geral e ao mercado da Colômbia em particular.

“A aproximação às empresas é, cada vez mais, um desígnio das autarquias. Fornecer conhecimento de outros mercados e apoiar o networking entre as empresas do concelho é mais uma das nossas atribuições. E esse é um novo desafio que queremos e devemos abraçar”, afirmou Pedro Folgado, presidente da Câmara Municipal de Alenquer na abertura do encontro.

Diogo Gomes de Araújo, assessor do Ministro da Economia, começou a sua intervenção elogiando a iniciativa da autarquia com o Portal de Apoio ao Empreendedor (PAE), “onde quem tenha uma ideia de negócio e não sabe como pô-la em prática, tem todo o apoio para estruturar o seu projeto, acompanhando o empreendedor durante as suas diferentes fases”.

Relativamente à Colômbia, Diogo de Araújo salientou o plano ambicioso de infraestruturas do Governo colombiano e as muitas oportunidades que este oferece, para além da influência do Processo de Paz, “que concederá a este país mais estabilidade, e criará um ambiente favorável ao estabelecimento de negócios”.

“2016 foi um ano mau para a América Latina, com uma contração do crescimento do PIB na ordem dos 0,9%, mas a previsão para 2017, segundo a Comissão Económica para a América Latina e Caribe é otimista, prevendo-se um crescimento na ordem de 1,5% no total e crescimento na ordem dos 2,6% para a América Central e México. Este crescimento, que difere muito de país para país, traduz-se também num aumento do poder aquisitivo em mercados que no total abrangem 600 milhões de habitantes e que podem e devem ser explorados pelas empresas portuguesas que pretendam internacionalizar-se”, referiu Cristina Valério, coordenadora da Casa da América Latina.

“Nós e os colombianos choramos e rimos pelas mesmas razões. Ou seja, temos grandes afinidades, empatias que facilitam nos negócios, mas que, só por si, não fecham negócios. Um colombiano necessita de confiança quando compra, não decide logo e é muito exigente. Ter um sócio local, mesmo ao nível da exportação é muito importante”, esclareceu Rosário Marques, presidente executiva da Câmara de Comércio e Indústria Luso-Colombiana, numa intervenção detalhada sobre as reais oportunidades de exportação e internacionalização para Colômbia, um caminho que trilha há mais de 5 anos.

Da AICEP e da sua diretora-adjunta, Maria João Veiga Gomes, vieram os experientes conselhos de quem apoia a internacionalização de empresas há dezenas de anos e o trabalho desta agência em solo colombiano, no sentido de auxiliar o comércio entre os dois países.