CAL participou em seminário sobre Panamá

Etiquetas: , , , , ,
___________________________________________________________________________________

A Casa da América Latina esteve presente, através do seu Presidente e da sua Secretária-Geral, no seminário Exportar & Investir – Panamá, que decorreu na Associação Comercial de Lisboa no dia 18 de Fevereiro de 2014.

Manuela Júdice, que discursou na sessão de abertura, referiu que a CAL vem organizando visitas a empresas e roadshows com Embaixadores e empresários em várias regiões do país. Através dos roadshows, “as empresas ficam com uma perspectiva alargada das condições para investir” na América Latina, afirmou.

A Secretária-Geral da CAL lembrou ainda a visita do Presidente da Comissão Executiva da CAL, António Costa, e da Presidente da Administração do Porto de Lisboa, Marina Ferreira, ao Panamá para visitarem as obras que a empresa Vilaplano está a realizar para o alargamento do Canal do Panamá. “Esta visita demonstra o interesse com que a CAL e a Cidade de Lisboa encaram as oportunidades abertas pelo alargamento do canal”.

Ministro e empresários destacam competitividade do Panamá

O Vice-Ministro do Comércio Exterior do Panamá, em nova visita a Portugal, apresentou os sectores de logística, turismo, agricultura, ciência e tecnologia como os mais promissores na economia do país, cuja competitividade “subiu 19 posições a nível global” nos últimos anos. José Pacheco Tejeira disse ainda que o Panamá está em vias de se tornar membro da Aliança do Pacífico e anunciou uma sua recente reunião com a TAP, na qual foi colocada a hipótese de a companhia aérea portuguesa passar a ter um voo directo para o Panamá.

O Director de Operações Internacionais do Grupo Bial, Paulo Ribeiro, salientou que o processo de criação de empresas é fácil no Panamá, mas que o registo de marcas demora normalmente cerca de 2 anos, tempo que considera elevado.

Luís Silveira Pinto, Director de Negócio de Soluções Educacionais da JP – inspiring knowledge, disse que a empresa “foi muito bem recebida” no Panamá e sublinhou que “os procedimentos administrativos são simples e claros” no país.

O Director Comercial do grupo Cabelte, Luís Lucas Pires, afirmou que a atracção dos funcionários mais qualificados é difícil no Panamá sem implicar elevados custos, pois a taxa de desemprego é de apenas 4,5%.

Consulte:
Galeria de fotografias
Exportar e Investir no Panamá – Associação Comercial de Lisboa
Exportar e Investir no Panamá – Embaixada do Panamá em Portugal
Panamá: construyendo una plataforma logística global  – J. P. Tejeira