CAL apresenta Andorra Capital Ibero-americana da Cultura 2016

Etiquetas: , , ,
___________________________________________________________________________________

“Quantos países tem a Península Ibérica?”, perguntou em forma de provocação o Ministro dos Assuntos Exteriores de Andorra, Gilbert Saboya, na apresentação do projeto Andorra Capital Ibero-americana da Cultura 2016. O ministro salientou a importância de afirmar Andorra, assumindo-se como um dos países que integram a unidade Ibero-Americana – um país de pequenas dimensões, por vezes esquecido, foi apresentado na Casa da América Latina (CAL), no dia 18 de fevereiro.

A programação do evento que Andorra apresentará este ano inclui festivais para jovens criativos, concertos (alguns aproximando-se da cultura portuguesa, como é o caso de uma “Noite de Fado” programada para outubro), mostras de teatro e dança, congressos, semanas abertas, feiras do livro, exposições artísticas e fotográficas, feiras tradicionais (em julho terá lugar “O Feirão” – mercado tradicional português), ciclos de cinema, entre muitos outros eventos que se estendem até dezembro em Andorra-a-Velha. A apresentação oficial de Andorra Capital Ibero-americana da Cultura 2016 ocorreu no dia 29 de fevereiro nesta mesma cidade.

O Embaixador de Andorra em Portugal, Jaume Serra, salientou a intenção de continuar a “reforçar os laços” com Portugal, ligando-se também mais à Ibero-América. O embaixador ressalvou a educação como fator importante da integração do país que atravessa agora uma “fase de abertura económica” e aposta no “intercâmbio”. Para além da “elevada qualidade de vida”, e “estrutura de negócios competitiva”, Andorra tem para oferecer aos 8 milhões de visitantes anuais uma economia muito centrada nos serviços e orientada para o turismo.

A secretária-geral da CAL, Manuela Júdice, traçou a cronologia das aproximações da Cultura Portuguesa à América Latina, partindo do nascimento da associação pela qual é responsável, em 1994, precisamente no ano em que Lisboa foi a Capital Ibero-Americana da Cultura.

Agradecendo à CAL e à Câmara Municipal de Lisboa, o Ministro dos Assuntos Exteriores de Andorra, Gilbert Saboya, afirmou que o evento é um “exemplo das boas relações” que se podem estabelecer entre os dois países.

Lisboa de olhos postos em 2017

Na sua primeira apresentação como Presidente da Câmara Municipal de Andorra-a-Velha, Conxita Marsol explicou que uma cidade com cerca de 25 mil habitantes permite uma relação muito próxima com os cidadãos, pelo que a programação da Capital Ibero-americana da Cultura 2016 deverá “potenciar a cultura popular”. A presidente afirma que alguns dos desafios propostos a Andorra-a-Velha são os mesmos que Lisboa, enquanto Capital Ibero-americana da Cultura 2017, poderá vir a identificar , sendo de incentivar a partilha de experiências.

A Vereadora da Cultura de Lisboa, Catarina Vaz Pinto, espera que a ligação entre os dois países não seja apenas cultural, servindo esta aproximação de mote para “fortalecer todos os outros laços políticos, sociais ou económicos”. “Temos em comum, como Património Imaterial, o Fado, o Tango, o Flamengo”, afirma a vereadora, destacando esta “cumplicidade”, que se materializa na programação cultural e vivência de rua que também se esperam alcançar no próximo ano, de forma a “fazer uma ponte entre Andorra e Lisboa”.

No final da apresentação realizou-se um encontro entre a Cônsul Maior de Andorra-a-Velha e a vereadora Catarina Vaz Pinto, onde tiveram oportunidade de acertar as modalidades de cooperação entre as duas cidades no âmbito das Capitais Ibero-americanas da Cultura.