Economia cubana em seminário na CAL

Etiquetas: , ,
___________________________________________________________________________________

“Cuba está a transformar o seu modelo económico, separando o setor estatal do empresarial, diversificando as relações económicas, procurando e fixando investimento, também no ramo hoteleiro e Portugal tem tentado acompanhar este processo, ocupando já a 10ª posição como sócio comercial no contexto da EU”, referiu Inalvis Bonachea González, Diretora de Europa do Ministério do Comercio Externo e Investimento Estrangeiro de Cuba (MINCEX) no início do Seminário: Oportunidades de Negócio em Cuba, realizado dia 04 de outubro, numa parceria Câmara de Comércio Portugal-Cuba, Casa da América Latina e Embaixada de Cuba, com o apoio da AICEP.

“Este e outros seminários que organizamos pretendem incentivar as relações económicas bilaterais entre Portugal e Cuba, dando a conhecer às empresas portuguesas as oportunidades de negócio em Cuba. Exemplos tão simples deste comércio são a importação de carvão vegetal cubano, mel biológico, ou a importação de café cubano pela Delta. Mas há muito mais para descobrir, sobretudo no setor da saúde e biocosmética como poderão testemunhar com as empresas Medicuba SA, BioCubafarma, Farmacuba, Centis (Centro de Isótopos) e a Comercializadora dos Serviços Médicos Cubanos, aqui presentes, no contexto de uma Missão Inversa Cubana dos setores da Saúde e das Indústrias Farmacêutica e Biotecnológica, promovida pela Câmara de Comércio Portugal-Cuba”, salientou Mercedes Martinez, Embaixadora de Cuba em Portugal.

“A FIHAV – Feira Internacional de Havana, que se realiza de 4 a 11 de novembro, é um dos grandes momentos onde se pode testemunhar a vitalidade económica de Cuba. Milhares de empresas portuguesas já participaram ao longo das 37 edições, e muitas ficaram clientes”, referiu Niurka Marsán, Coordenadora do Grupo de Promoção de Investimentos da Câmara de Comercio da República de Cuba. “A mão-de-obra jovem e qualificada cubana, aliada a um investimento na inovação que estas empresas do setor da saúde oferecem, permitem fazer alianças num dos sectores mais rentáveis de Cuba e Portugal, a Saúde. 80% das relações comerciais entre os nossos dois países são realizadas por intermédio de terceiros. O que não beneficia nenhuma das partes envolvidas, por isso é importante conhecermo-nos e desenvolver essa relação bilateral. Muito mais interessante e vantajosa para os dois países. E é isto que estamos aqui hoje a fazer” referiu.