“Nós temos que dar ao público todo um país”

Etiquetas: , , ,
___________________________________________________________________________________

Turismo português na República Dominicana aumentou quase 30% de 2017 para 2018. O país aposta na continuação do crescimento este ano.

A Casa da América Latina entrevistou Guilhermo Genao, assistente de direção do escritório de turismo da República Dominicana para Espanha e Portugal.

O que traz a República Dominicana este ano à BTL?

Temos muitas coisas. Não apenas a nossa praia, que é uma das melhores do mundo, mas temos outras coisas: gastronomia, turismo natureza, onde encontra não apenas praia mas também os dominicanos e a sua cultura.

Para quem não conhece a cultura da República Dominicana, como falaria dela?

A nossa cultura tem muita mistura. A mistura africana, europeia, e a mistura dos indígenas que tivemos lá. Então, essa mistura é o que hoje é conhecido como o povo dominicano.

E como é que eles são? Como é a cultura?

A cultura dos dominicanos é uma cultura muito alegre e aberta. É muito fácil você conhecer um dominicano, falar com ele. São pessoas abertas e muito livres.

Que tipo de férias as pessoas podem fazer na República Dominicana. Apenas praia ou contacto com as culturas locais?

As duas coisas. Podem ficar num hotel onde descansam e relaxam, mas também podem fazer excursões que ficam perto ou longe do hotel, como preferirem, porque temos muita coisa para conhecer.

Muita coisa para conhecer, por exemplo?

Nós temos a montanha maior do Caribe. Temos muita coisa pré descobrimentos, temos uma natureza, uma fauna e flora e gastronomia. Muita coisa que o turista pode conhecer.

Ou seja, podem ser férias para descansar mas onde também se aprende alguma coisa. É isso?

Sim.

Como tem sido a evolução do turismo de Portugal para a República Dominicana nos últimos anos?

Muito bom. No passado, em 2018, houve um crescimento de quase 30% de turismo de Portugal para a República Dominicana em relação a 2017. Então, agora este ano, pensamos que vai ter um crescimento ainda maior do que o do ano passado.

Alguma novidade em termos de oferta de viagens que vocês apresentem nesta BTL?

Guillermo – A novidade que temos, como ministério, é que temos de falar de outros destinos que as pessoas não conhecem. Como é o caso Samaná, que é uma península que tem tudo o que a República Dominicana tem, em diferentes lugares; o caso de Porto Plata, Barahona, o caso da Bahia de las Aguilas, que é uma beleza. Nós temos que dar ao público todo um país.

Entrevista realizada por Raquel Marinho