Prémio de Literatura Casa da América Latina

Ao lançar, em 2005, o Prémio de Criação Literária e de Tradução Literária – a serem atribuídos em anos alternados -, a Casa da América Latina assumiu como principal objectivo incentivar a edição em Portugal de obras de autores latino‐americanos, bem como estimular a qualidade das suas traduções.

O Prémio de Literatura Casa da América Latina contou com o apoio do Banif (2006-2012) e do Grupo Lena (2015 e 2016), encontrando-se de momento suspenso.

Até à presente data, foram atribuídos os seguintes Prémios de Criação Literária:
2006 – O voo da rainha, do escritor argentino Tomás Eloy Martínez (Edições Asa)
2008 – No céu com diamantes, do escritor cubano Senel Paz (Sextante Editora)
2010 – Somos o esquecimento que seremos, do escritor colombiano Héctor Abad Faciolince (Quetzal Editores)
2012 – Poesia Completa, do escritor brasileiro Manoel de Barros (Caminho)
2016 – As Reputações, do escritor colombiano Juan Gabriel Vásquez (Alfaguara)

Quanto aos Prémios de Tradução Literária, foram distinguidas as seguintes obras:
2007 – Malinche, da escritora mexicana Laura Esquivel, pela tradução de Helena Pitta (Edições Asa)
2009 – O inútil da família, do escritor chileno Jorge Ewdards, pela tradução de Helder Moura Pereira
2011 – 2666, do escritor chileno Roberto Bolaño, pela tradução de Cristina Rodriguez e Artur Guerra (Quetzal Editores)
2015 – Troquei a minha vida por candeeiros velhos, do escritor colombiano Léon de Greiff, pela tradução de Gastão Cruz (Edições Abysmo)