Rede Mundial De Cidades Magalhânicas

Etiquetas: ,
___________________________________________________________________________________

[Testemunho de Alberto Laplaine Guimarãis, Secretário-Geral da Câmara Municipal de Lisboa, sobre o VI Encontro da Rede Mundial de Cidades Magalhânicas em Lisboa]

Em 1519, quando Fernão de Magalhães iniciou a sua epopeia de navegação em busca das Ilhas Molucas, ricas em especiarias, idealizando e protagonizando a primeira viagem de circum-navegação do mundo, nunca poderia imaginar que esta sua proeza iria alterar definitivamente o paradigma geográfico da epóca: confirmava-se que a terra não era plana. Com esta viagem iniciava-se uma nova era e uma nova conceção do mundo: o mundo da globalização e do conhecimento universal.

Esta viagem foi o corolário da descoberta de novas passagens marítimas e de novas rotas comerciais, do reconhecimento do valor científico dos astrónomos, cartográficos e geográficos. Permitiu o contacto com novas realidades, culturas e costumes, fauna e flora, trouxe novos valores e contribuiu para o conhecimento nas mais diversas áreas do saber, cultura, história, teologia, linguística, botânica e zoologia.

Em suma, esta viagem porpocionou uma massa de conhecimento fundamental para o alargamento do universo dos saberes científico e humanista.

Para valorizar e difundir este acontecimento histórico, realizado pelo grande navegador português Fernão de Magalhães, foi criada a Rede Mundial de Cidades Magalhânicas, uma plataforma colaborativa global de cidades unidas com o propósito comum de implementar ações conjuntas e individuais visando o conhecimento, o intercâmbio cultural, ciêntifico e tecnológico e promover a Comemoração do Quinto Centenário da Primeira Volta ao Mundo, entre 2019 e 2022.

Esta rede constitui-se como uma associação de cidades que partilham a memória histórica de pertencerem à rota estabelecida por Magalhães ou a ele estarem ligadas factualmente, nos diversos continentes: Lisboa, Sabrosa e Ponte da Barca (Portugal), Sevilha, San Luca de Barrameda e Tenerife (Espanha), Ushuaia, Puerto de San Julián, Puerto de Santa Cruz e Governo Provincial da Terra do Fogo (Argentina), Praia (Cabo Verde), Punta Arenas (Chile), Catbalogan City e Cebú City (Filipinas), Tidore (Molucas – Indonésia) e Montevideo (Uruguay). Em breve deverão aderir à RMCM muitas outras cidades como Rio de Janeiro, Cidade do Cabo, Getaria e Buenos Aires, entre outras.

Em resultado do VI Encontro da Rede Mundial de Cidades Magalhânicas em Lisboa, ocorrido no passado mês de Janeiro, a cidade de Lisboa assumiu a Presidência da Rede e a cidade de Sevilha a 1ª Vice-Presidência.

Entre as várias medidas tomadas neste Encontro, destacam-se a elaboração de um Protocolo de coordenação com a Rede Mundial de Universidades Magalhânicas nas áreas científica, cultural, económica, turística e tecnológia; a solicitação do estatuto de orgão consultivo do Conselho Económico e Social das Nações Unidas; a formalização da candidatura da Rota de Magalhães como Património Mundial (Cultural e Natural) junto da UNESCO, estando esta já incluida na Lista Indicativa de Portugal, e a aprovação do Plano Comemorativo conjunto do V Centenário, nomeadamente a realização de uma Grande Exposição Universal sobre a Primeira Volta ao Mundo – Primeira Globalização.

A Câmara Municipal de Lisboa coloca uma grande ambição nos objetivos que se propõe atingir em 2019, ano em que se iniciam as comemorações. A nível nacional, trabalhando com o Governo, com os municípios, as universidades e polos de saber, bem como com as entidades e instituições representativas do património histórico e do saber científico que devem moldar e enquadrar a exaltação da gesta de Fernão de Magalhães. Mas também a nível internacional, com os membros da Rede e outras cidades que partilhem os nossos propósitos, em articulação com as diferentes Comissões Nacionais que se deverão formar nos diferentes países e com organizações que atuam à escala global e para as quais a expedição de 1519 foi o primeiro ato de globalização que moldou os contornos das sociedades contemporâneas.

Tendo em conta a importância dos valores históricos e culturais legados por Fernão de Magalhães à Humanidade, foi aprovada pelo Governo português a constituição de uma Comissão Interministerial que deverá funcionar com outras entidades para levar a cabo as Comemorações do V Centenário da Primeira Volta ao Mundo (2019-2022). Esta Comissão será coordenada pelo recém-eleito Secretário-geral da RMCM e Presidente da Câmara Municipal de Sabrosa, José Manuel Marques.

O VII Encontro da Rede terá lugar em Puerto de Santa Cruz na Argentina, no final de 2017.

Alberto Laplaine Guimarãis