Raduan Nassar vence Prémio Camões

Etiquetas: , ,
___________________________________________________________________________________

O brasileiro Raduan Nassar foi o escolhido pelo júri como vencedor do Prémio Camões de 2016, considerado o mais importante galardão destinado a escritores da língua portuguesa.

O nome foi anunciado pelo Secretário de Estado da Cultura, Miguel Honrado, numa conferência de imprensa que contou também com a presença do júri da 28ª edição do concurso, que teve como representante português o crítico literário Pedro Mexia.

O autor, que sucede a Hélia Coreia, é o 12º brasileiro a receber esta distinção, tendo sido também um dos 13 finalistas da recente edição do Prémio Man Booker Internacional, representando a língua portuguesa a par do angolano José Eduardo Agualusa.

Nascido em 1935 em Pindorama, São Paulo, numa família de origem libanesa, Raduan Nassar é um dos mais aclamados escritores brasileiros do século XX. Estudou Direito e Letras na Universidade de São Paulo e concluiu a sua formação académica em Filosofia. Entre as três obras publicadas pelo autor que há quase duas décadas está ausente da vida literária, destaca-se a sua estreia – “Lavoura Arcaica” (1975). Seguiu-se “Um Copo de Cólera” (1978) e a coletânea de contos “Menina a Caminho” (1997). Está traduzido em países como Espanha, França e Alemanha.

Comparado a nomes como Clarice Lispector e João Guimarães Rosa, graças à qualidade da sua linguagem e da força poética da sua prosa, o novo Prémio Camões nunca apreciou o assédio da imprensa e seguidores, dedicando-se atualmente à criação de galinhas.

O Prémio Camões foi instituído por Portugal e pelo Brasil em 1988, para “consagrar anualmente um autor de língua portuguesa que, pelo valor intrínseco da sua obra, tenha contribuído para o enriquecimento do património literário e cultural da língua comum”.