Estes são os convidados da 6ª MCAL

Etiquetas: , , , , , , , ,
___________________________________________________________________________________

A Mostra de Cinema da América Latina vai trazer até Lisboa alguns dos protagonistas da edição deste ano. Jan Bijvoet, Ana Cruz, Marco Julio Linares e Sergio Castro San Martín vão estar no Cinema São Jorge para nos contar como é trabalhar no mundo do cinema latino-americano.

Jan Bijvoet é um dos protagonistas de El Abrazo de la Serpiente, que recentemente foi distinguido com o prémio Art Cinema na Quinzena dos Realizadores de Veneza. Nascido em Antuérpia (Bélgica) em 1966, o actor começou por dar nas vistas no teatro, onde se estreou em 1991, antes de dar o salto para a televisão. No cinema, tem-se distinguido com participações em produções independentes como Borgman: o mal-intencionado ou The Broken Circle Breakdown, que esteve nomeado para Óscar de Melhor Filme Estrangeiro e acabou por ser premiado no Festival de Berlim (Alemanha), nos César Awards (França), no Festival de Tribeca (EUA) ou nos Satellite Awards, entre outros. Esta é a sua estreia em Portugal.

Ana Cruz com formação na BBC de Londres, Ana Cruz divide a sua carreira entre o cinema e a televisão, áreas em que trabalha como argumentista, produtora e realizadora há mais de 30 anos. No seu currículo conta com documentários como Mujeres Insumisas ou Mujeres de la Revolución Mexicana. Este mesmo tema haveria de a levar a trabalhar “Revolucionarias”, uma série de televisão focada no papel das mulheres na Revolução Mexicana. É com esta temática que chega a Portugal para apresentar Las Sufragistas, um irrepreensível documentário sobre a luta das mulheres mexicanas pelo direito de voto.

Marco Julio Linares carinhosamente apelidado de “mestre” no México, Marco Julio Linares é um dos maiores pensadores do cinema contemporâneo naquele país. É autor de El Guión: Elementos, formatos y estruturas, um dos livros de cinema mais estudados na América Latina e coordena o Eficine 189, um organismo público de apoio ao cinema. Embora nunca tenha enveredado de forma definitiva pela realização, assinou filmes como Proyecto Milpa, Zócalo Año 2000 ou Fernando Garcia Ponce, mas foi como produtor que se destacou, ao produzir mais de vinte filmes nos últimos 30 anos. É nesse papel que chega a Lisboa, para falar do trabalho em torno de Las Sufragistas.

A Mostra recebe também o chileno Sergio Castro San Martín. Com uma curiosa formação em arquitectura, só começa a realizar em 2005. Durante alguns anos, especializa-se na realização de curtas-metragens de ficção e documentais. Em 2009, com o apoio do Fundo de Fomento Audiovisual concretiza o seu primeiro filme, Paseo. O seu amor pela música leva-o a realizar dois documentários musicais: Electrodomésticos, sobre a banda chilena com o mesmo nome e outro focado nos americanos Tortoise intitulado A day with Tortoise. Em Lisboa, Sergio Castro vai apresentar La Mujer de Barro, que fez parte da Secção Fórum no Festival de Cinema de Berlim em 2015.