Qosqo

Situado junto ao Terreiro do Paço, o restaurante Qosqo é o único restaurante de comida peruana em Portugal, o que é relevante sobretudo porque a gastronomia do Peru é considerada uma das melhores do mundo. Com cerca de dois anos de existência, o Qosqo é visitado sobretudo por portugueses (a comunidade peruana é muito reduzida), a quem Gabriela Ruiz Gordon, uma das proprietárias, costuma aconselhar a degustação e partilha de vários pratos.

A Casa da América Latina deslocou-se ao Qosqo, a convite de Gabriela Ruiz, para um almoço em que à experiência sensorial se juntou uma conversa sobre a história do Peru, animada por Vasco Pimentel, também proprietário do restaurante (juntamente com José Araújo). Com ele ficámos a saber que se cultivam no Peru 4100 espécies de batatas, que os pimentos picantes andinos (os ajíes) são muito mais saborosos que os do resto do mundo, que os inúmeros microclimas do Peru fazem com que os peruanos se tenham habituado a “ter tudo à mão”, para além de serem “bulímicos a absorver outras gastronomias”.

Ceviche, leche de tigre, pisco sour e inca kola.

A “comida exótica mas familiar” do Peru, descrição de Vasco Pimentel, foi-nos dada a conhecer logo a seguir à ingestão de Pisco Sour, a “única aguardente vínica boa para cocktails”, porque não se lhe sente o cheiro. Nas palavras de Pimentel, “é um sacrilégio” não beber Pisco Sour antes de uma refeição peruana. Com ele foi-nos oferecida cancha, uma espécie de milho tostada, que se dissolve rapidamente na boca.

O primeiro prato a ser-nos servido foi um ceviche (claro!), acompanhado de uma salada com alface, batata doce fatiada, cebola roxa e ají limo. Com o ceviche, feito de garoupa cortada fresca, marinada em sumo de lima com cebola e coentros, pudemos provar leche de tigre, uma bebida fresca e pungente, resultante da marinada do ceviche.

Cancha e causa.

Seguiu-se a causa, um prato inventado pelas mulheres limenhas, no século XIX, para oferecer aos soldados que se batiam pela causa da resistência à invasão chilena. Na base deste delicioso prato frio (de sabor completo, “redondo”) está o pimento amarelo, o puré de batata, a lima, o aipo e um recheio fresco de frango, atum ou verduras.

Lomo saltado.

O Qosqo serviu-nos ainda outro dos pratos mais pedidos pelos seus clientes: o lomo saltado, pedaços de lombo de vitela salteados com legumes, flambeados com Pisco e acompanhados de arroz branco. Em seguida, para além de bebermos a famosa Inca Kola, descrita por Gabriela como a “bebida de sabor nacional” do Peru, pudemos provar ají de galinha desfiada (que tem de ser mesmo galinha, não frango) em pasta de pimento amarelo, com nozes e acompanhado de arroz branco.

O Qosqo está aberto de terça-feira a sábado, das 13h00 às 15h30 e das 19h30 às 23h00, e aos domingos das 13h00 às 16h00.