Pablo Garrido Araúz: “Para o Panamá e Portugal, este é um momento muito interessante, estamos a construir as nossas relações”

Etiquetas: , , ,
___________________________________________________________________________________

Entrevista com o Embaixador do Panamá em Portugal, Pablo Garrido Araúz, no âmbito do Portugal Exportador 2021


– Embaixador do Panamá, Pablo Garrido Araúz, o que nos pode dizer sobre as relações comerciais entre Portugal e o Panamá e, uma vez que estamos no Portugal Exportador, sobre exportações?

Primeiro que tudo, quero agradecer à Casa da América Latina, que sempre nos apoia. Para o Panamá e Portugal, este é um momento muito interessante, estamos a construir as nossas relações, e dentro destas está a parte comercial. 

Fizemos uma visita ao norte do país, com o apoio da Câmara de Comércio del Sur, que faz parte doutro grupo de câmaras, e visitámos 6 empresas, desde tratamento de águas residuais até à robótica, e também estivemos a visitar no norte, a semana passada, uma universidade com quem também temos relações próximas. 

O que quero dizer com isto é que o Panamá, que é um país que hoje se projeta e é um hub, não apenas em direitos humanos e ajuda humanitária, mas também como um hub aéreo, portuário. Então, na parte comercial, temos agora no próximo ano, em março, a Expocomer, que tem sido o homólogo do Portugal Exportador nesta versão, umas das feiras mais importantes. 

Precisamos aproximar, fazer o “link”, o “match”, com os nichos de um lado e do outro, estamos a fazer encontros com empresários portugueses para, através disso, se colocarem  em contacto com os seus homólogos. E, desta vez, Portugal está interessado em participar na Expocomer. Isso seria maravilhoso! Porquê? Porque aí existem nichos, existem “clusters” interessantes de ambas as partes.

– De que áreas de negócios?

Primeiro, serviços. Segundo, temos a parte portuária, e porque não, a parte agroalimentar. Hoje fala-se muito de alimentação, da segurança alimentar, e o Panamá procura isso na zona e Portugal, de uma forma bilateral e triangular com a União Europeia, que nos pode apoiar. A parte dos serviços, os bancários, os de seguros e também a parte agroalimentar, são as mais importantes, mas não descartamos a parte das águas residuais e saneamento.


Entrevista realizada por Raquel Marinho