Colômbia anuncia contribuição para a reativação do setor cultural dos países da Aliança do Pacífico

Etiquetas: , ,
___________________________________________________________________________________

O anúncio da contribuição financeira de US $ 278.329, para promover a implementação do plano de trabalho do Grupo de Técnicos Culturais, durante a vigência de 2021, foi feito pelo diretor da Oferta de Cooperação Internacional da APC- Colômbia, Catalina Quintero, durante a conversa virtual ‘Aliança Estratégica para o Fortalecimento da Cultura na Aliança do Pacífico’, realizada no dia 27 de abril e com a participação do Ministro da Cultura da Colômbia, Felipe Buitrago; o diretor do Centro Regional para a Promoção do Livro na América Latina e o Caribe (Cerlac), Andrés Ossa e representantes do Chile, México e Peru.

“Consideramos que as ações que estão previstas no âmbito desta Aliança Estratégica, como o calendário digital sobre a oferta cultural nos países da Aliança do Pacífico, as atividades de formação de recursos humanos responsáveis pelos assuntos culturais e criativos, entre outros, contribuem significativamente para a reativação econômica de um dos setores mais atingidos pela pandemia provocada pela Covid-19, como é o setor da cultura ”, disse a diretora da Oferta de Cooperação Internacional da APC-Colômbia, Catalina Quintero.

A contribuição do Governo da Colômbia é realizada no âmbito da Presidência Pro Tempore do país na Aliança do Pacífico e da Coordenação do Grupo Técnico de Cultura, liderado pelo Ministério de Cultura da Colômbia.

“O plano de trabalho que o Grupo Técnico de Cultura traçou para o período 2021 é um plano ambicioso que visa, por um lado, continuar a fortalecer as indústrias criativas e culturais da região e, por outro, apoiar a reativação dos agentes culturais afetados pela crise de saúde”, destacou o Ministro da Cultura da Colômbia.

Desta forma, o Grupo Técnico de Cultura priorizou três linhas de ação: promover a circulação e geração de redes e trocas monetárias e não monetárias de bens e serviços culturais; promover a geração de capacidades, o intercâmbio de experiências e conhecimentos e a qualificação de ocupações de agentes culturais independentes e continuar a promover o sector editorial e progressivamente as artes do espetáculo, a música e o audiovisual.

“Com a implementação deste plano de trabalho, pretende-se consolidar uma aliança mais integrada, conectada e empresarial, com o objetivo de contribuir para a concretização da Visão 2030”, destacou o Ministro Buitrago.

Por sua vez, Andrés Felipe Ossa, diretor do Centro Regional de Promoção do Livro da América Latina e Caribe (Cerlalc), que será um aliado central na agenda projetada pela Aliança do Pacífico em 2021, destacou que: “O Cerlalc acredita firmemente que esta aliança estratégica permitirá cumprir plenamente os objetivos compartilhados pelos atores envolvidos, especialmente na reativação econômica dos países membros, através da transferência de conhecimento e do aumento do capital humano como resultado desta aliança. Uma economia que reconhece o valor da criatividade e das ideias é fundamental para os desafios que enfrentamos no século 21 ”.

Também participaram do Facebook Live Rocio Errazquín, coordenador de Relações Internacionais e Indústrias Criativas do Ministério das Culturas, Artes e Patrimônio do Chile; Ana Laura Rojo, diretora adjunta de Cooperação Cultural Internacional do Ministério da Cultura do México e Wilyam Lúcar, diretora de Cooperação Internacional do Ministério da Cultura do Peru.

“Queremos agradecer à APC-Colômbia e ao Ministério da Cultura, que vieram fazer um ótimo trabalho. Expressamos também nosso entusiasmo por este anúncio e pela participação da Aliança do Pacífico na priorização do setor editorial”, destacou Ana Laura Rojo, vice-diretora de Cooperação Cultural Internacional da Secretaria de Cultura do México.

A agenda de trabalho do Ministério de Cultura e da APC-Colômbia também tem entre seus objetivos centrais a consolidação da Escola Internacional da Economia Laranja, com o objetivo de compartilhar com outros parceiros latino-americanos, a região ibero-americana e outras partes do mundo, as melhores práticas e políticas públicas implementadas pelo país, em torno da economia criativa.

Fonte: CERLALC