Programa cultural para o mês de janeiro

Etiquetas: , , , , ,
___________________________________________________________________________________

Como todos os que se encontram condicionados pela pandemia da COVID-19, a Casa da América Latina continua a reinventar a forma como divulga a cultura dos países da América Latina, orientando-se nesta nova fase para conteúdos acessíveis online, ou conteúdos presenciais que assegurem todas as condições de segurança.

Poderá aceder a vários tipos de manifestações artísticas e culturais da América Latina, para apreciar e descobrir a diversidade e riqueza da sua música, cinema, artes cénicas, literatura, imagens, sons e artes visuais, todo o património que a define e projeta para o mundo.

Aproveite os museus e galerias, espetáculos e participe no debate de ideias.

Partilhe com a sua família e amigos a experiência da cultura latino-americana.


8 a 14 de janeiro

CINEMA

CINE.AR PLAY – Filmografia argentina

A Argentina disponibiliza um amplo catálogo de sua filmografia na plataforma Cine.AR. Para quem mora naquele país, todo o conteúdo que não está na seção de estreias é gratuito e pode ser acedido a qualquer momento. Para utilizadores fora da Argentina, a aplicação possui um catálogo internacional de conteúdo gratuito. Cada país possui um catálogo diferente.

MÚSICA

No Ar Coquetel Molotov – 17ª Edição

11 a 23 de janeiro

Na 17ª edição do Coquetel Molotov, as bandas e artistas tocarão em lugares secretos – e todos se encontrarão em mundos paralelos. 

O festival No Ar Coquetel Molotov  propõe um formato imersivo nesta nova edição, em que poderão ser experimentadas dinâmicas virtuais, unindo música, arte, 3D, workshops, mentorias, oficinas… e uma série com espetáculos inéditos de mais de 20 artistas locais, nacionais e internacionais.

TEATRO

Festival Santiago a Mil

3 a 24 de janeiro  

Sob o lema #VolverAEncontrarnos e em formato inédito, o Santiago a Mil, o festival de palco mais reconhecido do Chile, acontecerá entre os dias 3 e 24 de janeiro. Com 28 anos de tradição teatral, e hoje desafiado por uma pandemia global, desde o seu início em 1994 tem-se concentrado no poder de encontro que as artes, o teatro e as pessoas têm para transformar a sociedade.

Esta XXVIII edição do Festival, após meses de isolamento físico, paralisação do setor e encerramento de salas e teatros, é um convite à conexão através das artes em todos os cenários e formatos possíveis.

Com uma estratégia gradual, Santiago a Mil enfrentará o contexto da saúde com espetáculos especialmente adaptados para cada uma das fases do Plano Passo a Passo do Governo do Chile, respeitando todos os protocolos de atenção à saúde, reforçando a ideia de que as atividades culturais são um espaço seguro.

Por isso, terá uma modalidade híbrida com cenários digital e presencial, com múltiplos cenários e formatos inéditos. O desafio de montar um festival internacional resultou em quebrar moldes e aproveitar ensaios remotos e até dentro de bolhas que permitem o distanciamento, com a inclusão de novas linguagens desenvolvidas pelos artistas este ano, desafiando o presente.

Assim, Santiago a Mil apresentará espetáculos em espaços não convencionais para um único espectador e pequenos grupos, obras gravadas em alta definição na plataforma Teatroamil.tv, obras por zoom, peças de rádio, cápsulas no Instagram e diversos dispositivos, junto com a chegada na TV Aberto e rádio, em aliança com os canais TVN, La Red e rádio Biobío, o que permitirá atingir diversos territórios e cada vez mais e novos públicos. Terá um total de mais de 150 espetáculos de 19 países que compõem este programa de várias disciplinas como teatro, dança, performance, música, ópera, circo, peças de rádio, instalações, audio tours, auto teatro e vivências em espaços não convencionais.

LITERATURA

Ano Ibero-Americano das Bibliotecas

2021 foi declarado Ano Ibero-Americano das Bibliotecas na última XX Conferência Ibero-Americana de Ministras e Ministros da Cultura da Ibero-América, realizada em 2019. Este acordo estabelece uma oportunidade de abrir um debate regional sobre a validade das bibliotecas na região e o seu papel no desenvolvimento dos países ibero-americanos.

No contexto da pandemia, e em meio aos grandes desafios de acesso à informação, todos os tipos de bibliotecas se reafirmaram como espaços necessários para que as pessoas tenham acesso a um conhecimento confiável e locais que garantem o acesso à informação e desenvolvimento de seus direitos culturais.

O Ano Ibero-Americano das Bibliotecas reunirá todos os tipos de bibliotecas: públicas, populares, comunitárias, digitais, móveis e itinerantes, universitárias, escolares, especializadas, indígenas, prisionais, nacionais, entre outras. Da mesma forma, será um momento de reflexão sobre as bibliotecas de uma região formada por 22 países: Andorra, Argentina, Brasil, Bolívia, Chile, Colômbia, Costa Rica, Cuba, Equador, El Salvador, Espanha, Guatemala, Honduras, México, Nicarágua, Panamá, Paraguai, Peru, Portugal, República Dominicana, Uruguai e Venezuela.  
Ao longo dos doze meses do ano será realizada uma grande variedade de atividades e programas em torno de 6 eixos:

– O mundo diverso das bibliotecas: tipos e serviços.
– Os desafios das bibliotecas após a pandemia.
– Bibliotecas além dos livros: um lugar para as pessoas.
– Inovação e bibliotecas: o que significa inovar e como fazê-lo?
– Bibliotecas como entidades fundamentais para o desenvolvimento da Agenda 2030.
– Bibliotecas como locais para a inclusão de populações desfavorecidas e minorias.

A apresentação do Ano Ibero-Americano das Bibliotecas contou com a presença de representantes das entidades que integram o comité organizador desta celebração:

– Ana Maria da Costa Souza, Presidenta da IBERBIBLIOTECAS e Coordenadora Geral do Sistema Nacional de Bibliotecas Públicas do Brasil.
– Enrique Vargas, Coordenador do Espaço Cultural Ibero-Americano da Secretaria–Geral Ibero-Americana, SEGIB.
– Jeimy Hernández, Coordenadora da Área de Leitura e Bibliotecas do Centro Regional para o Fomento do Livro na América Latina e o Caribe, CERLALC.
– María Angélica Fontes,  Presidenta da Federação Internacional de Associações Bibliotecárias, Seção para América Latina e o Caribe, IFLA LAC, e Presidenta do Colégio de Bibliotecários do Chile.
– Diana Patricia Restrepo, Presidenta da Associação de Estados Ibero-Americanos para o Desenvolvimento das Bibliotecas Nacionais da Ibero-América, ABINIA, e Diretora da Biblioteca Nacional da Colômbia.

ARTE

Os Olmecas e as culturas do Golfo do México

Destaque para a civilização olmeca e o mundo pouco conhecido das culturas pré-colombianas no Golfo do México. Um mergulho fascinante em mais de três milênios de história, intercâmbios e tradições artísticas.

Encontre uma visita guiada em três episódios com Steve Bourget, curador associado da exposição, no canal de YouTube do Musée du Quai Branly.


15 a 22 de janeiro

CINEMA

Começar em Verde – Festival Play

16 e 17 janeiro 
11h30
LU.CA – Teatro Luís de Camões

Chegados a 2021, começa-se em verde. O Festival Play apresenta uma longa metragem sobre um verdadeiro caso de começo e recomeço, ecológico, em verde e com atenção ao planeta Terra.

Uma Orquestra Especial (2005)
Brad Allgood / Graham Townsley, Paraguai / Brasil / EUA
84’ (documentário, legendado)

O filme Uma Orquestra Especial conta a história da orquestra reciclada de Cateura, um grupo musical de jovens do Paraguai que vive ao lado de um dos maiores aterros da América do Sul. Esta orquestra improvável toca música em instrumentos feitos inteiramente de lixo e é um testemunho do poder transformador da música e da fabulosa resistência do espírito humano.

MÚSICA

Viva o Samba

17 janeiro, 21h00
Coliseu dos Recreios 

O projeto Viva o Samba nasceu há cinco anos pela mão dos músicos Cícero e Humberto Mateus e teve sempre como objetivo promover a cultura musical brasileira de excelência em terras lusas. No dia 17 de janeiro, o Coliseu dos Recreios recebe o grupo brasileiro para um concerto que junta no mesmo palco 13 músicos, desde voz, percussão, viola, banjo, bandolim, cavaquinho, violino e harmónica, que se unem através da alegria contagiante do samba, com o poder da inclusão e solidariedade. Este projeto musical pretende difundir a tradição do samba em Portugal.

TEATRO

Inutilezas

Reunindo textos do poeta Manoel de Barros (1916-2014), a peça “Inutilezas” conta a possível história das memórias de um casal de irmãos que passou a infância num lugar chamado de “lacuna de gente”. Protegidos pelo abandono, fizeram da invenção as suas ferramentas de pensar e brincar. E daquilo que não serve para nada, a sua matéria de poesia.
 
A peça sugere também a história de uma dupla de atores que se reúne para transformar poesia em teatro, num jogo de cena que aposta na força da palavra e no espírito lúdico como potência criadora de outros mundos possíveis.
 
18 anos após a estreia da peça no teatro, “Inutilezas” apresenta, na sua versão de 2020, no Teatro #EmCasaComSesc, o reencontro de artistas que precisam experimentar os deslimites da cena – agora virtual – por receio de amanhecer normais.

LITERATURA

Por todos os caminhos: pontos de cultura na América Latina

Célio Turino é o idealizador dos pontos de cultura, espaços que unem protagonismo cultural e autonomia comunitária. Como funcionário do Ministério da Cultura do Brasil, entre 2004 e 2010, consolidou a proposta no programa Cultura Viva, que viabilizou pontos de cultura por todo o país. O sucesso espraiou-se para além das fronteiras nacionais, fazendo surgir a cultura viva comunitária em toda a América Latina. 

Em “Por todos os caminhos”, Turino realiza uma viagem por pontos de cultura latino-americanos – muitos deles espaços de cura social em regiões afetadas pela violência –, entretecendo experiências coletivas, valores ancestrais e histórias de vida singulares numa rede de fraternidade.

ARTE

Ramírez Villamizar

Eduardo Ramírez Villamizar foi um pintor e escultor colombiano, considerado um pioneiro da arte abstrata, minimalista e construtivista na Colômbia e na América Latina de forma mais ampla.

Foi um dos pioneiros da escultura abstrata na América Latina. O seu trabalho foi influenciado por uma geometria apurada, que se inspirou nas culturas ancestrais dos Andes e nos movimentos mais clássicos.

A coleção patente no Museu de Arte Contemporânea de Bogotá cobre vários períodos da trajetória criativa de Ramírez Villamizar.

Descubra as suas obras de arte pública, um capítulo importante do legado de Ramírez Villamizar com um abundante conjunto de obras públicas que hoje vivem na Colômbia, Estados Unidos, Venezuela e Cuba.


23 a 29 de janeiro

CINEMA

OndaMedia

Em território sul-americano está a OndaMedia, plataforma audiovisual desenvolvida pelo Ministério das Culturas, Artes e Património do Chile, criada com o objetivo de “aproximar o cinema nacional de todos os cidadãos”.

O site oferece diversos filmes, documentários, longas-metragens, curtas e séries. Para quem mora no país andino, basta fazer o registo para ter acesso a todo o catálogo do serviço. Quem está fora do Chile só poderá ver uma parte do catálogo.

Para aceder à lista completa de filmes disponíveis em todos os países, é necessário digitar a palavra “ondainfronteras” no mecanismo de pesquisa do site ou acedendo ao arquivo técnico de cada filme.

Entre os títulos disponíveis está o filme Tarde para morrer jovem, de Dominga Sotomayor, vencedor do prémio de melhor realizador nos festivais de Locarno, na Suíça, e Gijón, na Espanha.

MÚSICA

Jam Session com Victor Zamora Quarteto

28 de janeiro
Fábrica Braço de Prata

A jam session que é rainha das noites de quinta-feira da Fábrica volta à Esplanada Espinosa. Ao piano virtuoso e apaixonante do cubano Victor Zamora, sempre muito bem acompanhado de gigantes.

Para assistir sob a tenda da Espinosa, com toda a segurança orientada pela DGS, as reservas podem ser feitas pelo 968 599 969.

Taxa de artista: 5€
Consumo mínimo: 5€

TEATRO

Khuyay. Amor, amada, amar

Disponível até 31 de janeiro.
Companhia de Teatro Viola Fénix | Encenação de Guillermo Ward (Chile) – Territorios Creativos.

Khuyay. Amor, amada, amar é uma homenagem teatral, em período de quarentena, à vida, carreira e obra da poetisa iquique Iris di Caro Castillo (1926-2020) através de uma poesia própria, que valoriza a região de Tarapacá: geografia, deserto, pampas, ancestrais e o seu povo moreno.

LITERATURA

Hay Festival Colômbia

22 a 31 de janeiro

O evento cultural acontecerá de 22 a 31 de janeiro, e conta com uma ampla programação digital e gratuita, além de atividades presenciais em Jericó, Medellín e Cartagena.

Um dos festivais culturais mais importantes do país adapta-se à nova realidade, para trazer o melhor da literatura, música, arte e outras expressões da cultura para a casa dos colombianos.

Serão mais de 160 participantes, que vindos de diferentes partes do mundo permitirão a todos os participantes viver a experiência de compartilhar e desfrutar o Hay Festival, tanto no conforto de nossas casas quanto nas cidades-sede.

A décima sexta edição do festival acontecerá de 22 a 24 de janeiro em Jericó (Antioquia), de 25 a 27 de janeiro em Medellín (Antioquia) e de 28 a 31 de janeiro em Cartagena (Colômbia).

ARTE

Portinari – Projeto Guerra e Paz

Conheça o contexto e a história de uma das mais importantes ações realizadas pelo Projeto Portinari sobre a obra máxima do pintor.
Em 1950, o norueguês Trygve Lie, o primeiro Secretário Geral da ONU, fez um apelo a todos os países membros que doassem uma obra de arte à nova sede da ONU em Nova York. O Brasil designou Candido Portinari (1903-1962) e deu-lhe uma lista de temas entre os quais estava “guerra e paz”, tema recorrente da própria obra do pintor.

Portinari pintou os painéis Guerra e Paz (14m x 10m) em nove meses, após quatro anos de estudos preparatórios (cerca de 180). Quando fazia os estudos preparatórios para os painéis Guerra e Paz, Portinari foi proibido de pintar pelos médicos, que tentavam amenizar o processo de envenenamento pelas tintas. Mas o pintor não recuou perante o desafio e o maior trabalho de toda a sua vida.


28 de janeiro a 5 de fevereiro

CINEMA

Conheça a fase mexicana de Luis Buñuel

Luis Buñuel estabeleceu-se definitivamente no México em 1946, lançando “Gran Casino” (1947), um filme encomendado, protagonizado por Jorge Negrete e Libertad Lamarque.Em 1949, obteve nacionalidade mexicana. Depois de “Gran Casino” viriam títulos como a comédia “El gran calavera” (1949), “Los Olvidos” (1950), “Susana” (1951), com o papel principal de Rosita Quintana, “Don Quintín el amargao” (1951),  “Uma mulher sem amor” (1951), “Subida al cielo” (1951), “El Bruto” (1952), “Robinson Crusoe” (1952), “Él” (1953) , com Arturo de Córdova e Delia Garcés, “Abismos da paixão” (1953), “La ilusión viaja en tranvía ” (1953), “O rio e a morte” (1954) ou ” Ensayo de un crimen ”(1955), uma fenomenal comédia sombria com Ernesto Alonso como protagonista. O seu cinema surreal, original e simbólico, abrange vários géneros e subgéneros, como farsas, sátiras, comédias negras, dramas de natureza neo-realista ou melodramas apaixonantes, concentrando os seus esforços críticos principalmente no catolicismo e na burguesia.

MÚSICA

Aline Lazzari

29 de janeiro

Pela primeira vez no Avenew, Aline Lazzari interpreta clássicos da Bossa Nova e da MPB. No repertório compositores consagrados como Tom Jobim, Ivan Lins, Chico Buarque, entre outros. Um espetáculo que promete proporcionar ao público uma viagem com diferentes sensações.

Aline Lazzari – voz
Giovanni Barbieri – piano

TEATRO

Teatro Radiofónico – El hámster del presidente

A nova peça da companhia Teatro y su Doble traz-nos um conto do escritor mexicano Juan Villoro para falar sobre temas como solidariedade e trabalho em equipe para construir a democracia. O Presidente da República usa um casaco com 24 bolsos que nunca tira, mesmo quando faz mais calor.

Nem mesmo os seus colaboradores mais próximos sabem o segredo que guarda num deles: um pequeno hamster chamado Genaro III, às vezes adorável, às vezes caprichoso e mal-humorado. O presidente nomeou-o seu secretário particular, pois é ajudado a tomar decisões e a ficar acordado em reuniões longas e chatas.

Quando o presidente decide proibir doces em todo o país, um menino muito esperto chamado Ruy, que participa do protesto contra a medida, descobre o hamster e o assunto vira escândalo nacional. O que acontecerá a seguir mudará a vida de sua família e o destino de seu país.

ARTE

Museo Larco

Descubra mais de 5.000 anos de história do antigo Peru e a relação íntima que as sociedades pré-colombianas tinham com a natureza.

Mini-séries

Em pequenos episódios audiovisuais de aproximadamente 2 a 4 minutos, pode descobrir alguns conceitos e símbolos da cosmovisão andina, as obras-primas do acervo do Museo Larco, temas universais como a importância da água, culturas pré-colombianas, rituais e personagens mitológicos captados em cerâmicas, tecidos, esculturas em pedra e madeira, ornamentos de ouro e prata.