Turistas brasileiros gastam sete vezes mais em Portugal que clientes locais

Etiquetas: , ,
___________________________________________________________________________________

A Global Blue promoveu com o apoio da Casa da América Latina e da UCCLA a 23 de outubro, a 1ª Tax Free Talks Brasil dedicada ao turista brasileiro, numa estratégia para esclarecer e analisar a melhor forma de divulgar Portugal como um destino de compras na Europa, as vantagens do tax-free, a qualidade comércio de luxo em Lisboa e em Portugal, incrementando as vendas e valorizando a economia portuguesa.

Os turistas brasileiros ocupam a 2.ª posição no ranking do Turismo de Compras em Portugal e gastam, em média, 311 euros nas compras realizadas em território nacional, sete vezes mais que os clientes locais, segundo dados revelados por Renato Leite da Global Blue, empresa de transacções de tax free. “No mix de compras estão as lojas de roupa e moda, com um gasto médio de 237 euros, e relógios e jóias, com 1.300 euros. Estas compras são feitas, sobretudo, na Av. da Liberdade, no El Corte Inglês, na Baixa, no Colombo e no Freeport”, acrescenta a Global Blue, referindo que nos últimos anos, os turistas brasileiros têm vindo a reforçar a sua posição, com um crescimento sustentado, mas ainda com grandes oportunidades de expansão e de negócio.

Bernardo Cardoso, coordenador do mercado brasileiro no Turismo de Portugal, conhecedor da realidade brasileira, confirmou a apetência destes consumidores por compras e sobretudo de artigos que não têm no seu mercado de origem. Referiu ainda a importância de algumas ações como a Feira de Luxo de São Paulo, a ILTM Latinamerica “O brasileiro gasta, mas gasta bem. Não existem grandes planos de poupança no Brasil. Se não gasta em Portugal, gasta noutro local da Europa” alertou.

Susana Santos, do El Corte Inglés, referiu a necessidade de articulação de estratégias e a iniciativa da TAP Portugal Stop Over estimulando a ficar mais tempo em Lisboa e ser o último destino antes do regresso.

“Perceber quem está a gastar mais, quem está a comprar, data, bons guias de compras, optimização do processo de venda, tudo isto pode ser muito útil para vender melhor e a Global Blue também pode ajudar”, esclareceu Pedro Miguel Silva, Associate Partner da Deloitte.