Angelica Cáceres: “Queremos transmitir uma Colômbia alegre”

Etiquetas: , , , ,
___________________________________________________________________________________

Angelica Cáceres é uma das caras do Folclor Colombia, um projeto que, como o nome deixa antever, reúne vários colombianos residentes em Portugal e que têm como objetivo divulgar a sua cultura através da arte da dança. Na antecâmara do Mercado da América Latina, Angelica conta-nos um pouco deste grupo que celebra em 2018 um ano de existência.

Folclor Colombia nasceu em 2017, com o intuito de divulgar uma parte da cultura colombiana através da dança. Um ano depois, qual o balanço que fazem deste projecto?

Antes de mais, obrigada pelo interesse em conhecer este projeto e partilhar com todos a nossa iniciativa.

O balanço deste ano tem sido muito positivo. Quando iniciámos o projeto, éramos somente três participantes – todas mulheres – e, actualmente, já somos dez, incluindo homens.

Tanto a Casa de América Latina como a Embaixada da Colômbia têm sido bastante importantes na evolução e consolidação deste projeto.

Como tem sido a receção dos portugueses às vossas performances?

Tem sido muito boa. Os portugueses gostam e querem aprender a dançar, saber mais sobre as origens destas danças e o porquê de serem tão importante para nós.

As novas gerações de colombianos residentes em Portugal mostram vontade em aprender e continuar o legado do folclore colombiano?

Sim, e é um dos nosso principais objetivos. Transmitir-lhes a nossa cultura e não deixar morrer as nossas tradições, mesmo estando longe de casa.

Quão importante consideram ser este tipo de iniciativas para a preservação da cultura colombiana num futuro próximo?

Achamos estas iniciativas muito importantes porque nestas danças fala- se também de história, de onde vimos, das nossas raízes. É sempre importante saber de onde vimos para traçar o caminho para onde vamos. As novas gerações vão conseguir falar aos seus amigos de onde vêm e a importância de ser colombiano no estrangeiro.

Por norma, as artes têm subjacentes uma série de valores, tais como o compromisso e o respeito. Estes valores são algo que tentam passar para a audiência?

Sim, e à parte destas duas, também queremos transmitir a diversidade, tolerância, disciplina e patriotismo. São os valores que nos representam.

Consideram-se os representantes oficiais do folclore colombiano em Portugal?

Bom, acho que somos um dos tantos representantes oficiais do Folclore Colombiano em Portugal. Sabemos que há outros grupos colombianos que também fazem algumas apresentações importantes sobre o folclore colombiano e esperamos algum dia juntar-nos todos e fazer um grande espectáculo!

O stand da Casa da América Latina na Bolsa de Turismo de Lisboa (BTL) serviu de palco a uma das vossas últimas atuações. Qual a importância desta parceria para os Folclor Colombia?

Foi muito importante porque não só demos a conhecer a Colômbia pelas suas lindas paisagens e praias mas, também, pela dança e pela alegria que temos, bem como o nosso compromisso com o nosso país no estrangeiro. A Casa da América Latina tem-nos apoiado e confia em nós assim como nós neles.

Para além da BTL, contam já com algumas participações em eventos, tais como o Evento Anual da Embaixada da Colômbia e o Primeiro Bazar Colombiano em Lisboa. O que esperam do Mercado da América Latina e qual a importância que consideram que este tipo de iniciativas tem junto das comunidades?

Esperamos que todos os visitantes do Mercado conheçam uma parte das raízes da Colômbia e que possamos transmitir a nossa alegria a todos os presentes. Queremos transmitir uma Colômbia alegre, tolerante e em paz, muito diferente daquela que as noticias, séries ou filmes transmitem do nosso país.

Achamos muito importante este tipo de iniciativas com a comunidade para que consigamos conviver em tolerância e entender a cultura dos nossos vizinhos. Lisboa é uma cidade multicultural, e precisa de compreender as diferentes culturas que nela estão para assim ter uma melhor convivência.