Mercado cubano e oportunidades de negócio bilaterais apresentadas na AICEP

Etiquetas: , , ,
___________________________________________________________________________________

“Temos de nos conhecer melhor, saber o que cada país oferece e aproveitar essas oportunidades. Esta é a receita”, salientou Mercedes Martinez Valdes, Embaixadora de Cuba em Portugal, durante o seminário “Oportunidades de Negócio e Investimento em Cuba”, realizado pela AICEP e Câmara de Comércio Portugal – Cuba, com o apoio da Casa da América Latina, no dia 24 de maio.

O evento contou com a presença do Ministro da Economia de Portugal, Manuel Caldeira Cabral, que testemunhou em recente missão o desenvolvimento e a abertura de Cuba e o nível de importação de bens que a indústria do Turismo necessita neste país. “Temos o melhor para oferecer aos cubanos que merecem só o melhor. A elevada qualidade dos produtos que produzimos para a hotelaria, a preços muito competitivos, devia ser suficiente, mas não é. As nossas empresas não são conhecidas. E é por isso que iniciativas como esta são importantes. Estamos aqui para nos conhecermos mutuamente. Só assim poderemos fazer negócios”.

António Silva, administrador executivo da AICEP, reforçou a importância de “ser mais e melhor” no que toca aos negócios com Cuba, defendendo ser necessário desenvolver uma ponte “para além da relação institucional” que já existe. Salientou os setores com potencial de investimento para as empresas portuguesas, como é o caso do turismo, mas também a exportação de produtos de cortiça.

“Nos últimos anos registou-se um aumento do PIB cubano, com um crescimento de 6% desde 2017, e setores como o turismo cresceram significativamente”, afirmou Lourdes Morell, da direção de Relações Internacionais da Câmara de Comércio de Cuba. Destacando que “ainda há muito para fazer” para reforçar a relação entre os países, Lourdes Morell apresentou a Lei 118/2014 (Lei do Investimento Estrangeiro), referindo ainda a Zona Especial de Desenvolvimento de Mariel e a Carteira de Oportunidades de Investimento às empresas presentes.

João Ramalhão fez a apresentação da Câmara de Comércio Portugal-Cuba, que tem vindo a realizar esforços para “estreitar as relações entre os dois países”, nomeadamente com a organização da Missão Empresarial Inversa a Portugal, no âmbito da qual se realizou este encontro, e que mobilizou 32 empresas cubanas de setores tão diversos como a indústria, farmacêutica, tecnologia, saúde, alimentar e cultura.

No final do seminário, procedeu-se ainda a uma breve apresentação da Cuba Ron S.A. e, seguidamente, as empresas portuguesas e cubanas tiveram a oportunidade de reunir bilateralmente.