Entrega do Prémio Científico Mário Quartin Graça

Etiquetas: ,
___________________________________________________________________________________

A cerimónia de entrega do Prémio Científico Mário Quartin Graça decorreu no dia 23 de março na Casa da América Latina (CAL). Diogo Canavarro, Fábio Fernandes, Aziz José de Oliveira Pedrosa e Naldeir Vieira foram os vencedores da 8ª edição do prémio que visa distinguir teses de doutoramento realizadas por investigadores portugueses ou latino-americanos em universidades de Portugal ou da América Latina. O vencedor em cada vertente recebeu um prémio pecuniário de 5 mil euros, entregue pela secretária-geral da CAL, Manuela Júdice, e pelo administrador do Banco Santander Totta, Luís Bento dos Santos.

Manuela Júdice destacou a atribuição, pela primeira vez, de uma menção honrosa à tese de Eduardo Perera Gomez, de nacionalidade cubana, “Evolución histórica de la politica de la Unión Europea hacia Cuba (1988-2014)”, que se centra no momento em que a UE se aproxima de Cuba e consegue um acordo de cooperação, abrindo assim a possibilidade do diálogo político. “Esta é a prova de que o prémio tem vindo a crescer, e a sua divulgação deve-se em grande parte ao excelente trabalho que as embaixadas latino-americanas têm realizado”, salientou.

Luís Bento dos Santos afirmou que o banco é “o grande parceiro do Ensino Superior a nível mundial e a nível local”. “Apostamos no Ensino Superior porque acreditamos que este é a locomotiva do desenvolvimento, o salto qualitativo no desenvolvimento dos países”, salientou. O Prémio Científico Mário Quartin Graça recebeu, no ano de 2017, 50 candidaturas de doutorados de vários países, nomeadamente, Portugal, Brasil, Colômbia, Cuba, Chile, Peru, Equador e México.

Ciências Sociais e Humanas

O professor da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa e membro do júri, Pedro Cardim, referiu que “o trabalho de Aziz de Oliveira Pedrosa é um estudo muito ambicioso sobre a talha e os entalhadores nas Minas Setecentistas. Aziz Pedrosa identificou, de uma forma exaustiva, as principais oficinas e os mais relevantes entalhadores, e reconstituiu, com grande detalhe, tanto o modo de circulação dos modelos artísticos, quanto a sua aplicação. Como resultado, esta tese proporciona um inventário muito completo desta forma de património artístico no estado de Minas Gerais. Um trabalho de grande fôlego e um contributo inestimável para futuras pesquisas sobre este mesmo tema”.

Veja aqui a entrevista da CAL a Aziz de Oliveira Pedrosa.

Tecnologias e Ciências Naturais

Diogo Canavarro, da Universidade de Évora, foi premiado pela sua dissertação centrada na análise do desenvolvimento de concentradores solares térmicos. Sobre esta tese, o júri entendeu que “o trabalho desenvolvido é inovador e tem significativo potencial económico, uma vez que melhora significativamente o desempenho de concentradores solares, permitindo tornar mais eficientes centrais solares térmicas baseadas em sistemas refletores”, tal como referiu a secretária-geral da CAL. “A distinção da atividade científica é obviamente muito importante para nós e constitui um enorme incentivo”, agradeceu o premiado.

Veja aqui a entrevista da CAL a Diogo Canavarro.

Fábio Fernendes, da Universidade de Aveiro, desenvolveu a sua tese sobre biomecânica de impactos com capacetes, estudando o comportamento da cortiça e avaliando a sua aplicabilidade em termos de material alternativo em equipamentos de segurança pessoal. “O trabalho apresentado tem uma significativa a relevante componente de inovação, usando a cortiça, um material natural e renovável, para melhorar a resistência aos impactos de energia no capacete, aumentando assim o nível de proteção individual passiva”, afirmou Luís Bento dos Santos. Fábio Fernandes sublinhou que esta “é uma excelente forma de valorizar o trabalho dos investigadores em Portugal e na América Latina”.

Veja aqui a entrevista da CAL a Fábio Fernendes.

Ciências Económicas e Empresariais

Durante a atribuição do prémio ao vencedor na vertente de Ciências Económicas e Empresariais, o professor da Faculdade de Economia da Universidade do Porto e membro do júri do Prémio, João Proença, afirmou que “a tese de Naldeir dos Santos Vieira apresentou um trabalho de grande qualidade e rigor sobre o terceiro setor, com um estudo empírico de grande extensão realizado em ONG’s do Brasil e de Portugal que mostra como o desenvolvimento de competências se pode articular e relacionar com a inovação social.”

Naldeir dos Santos Vieira agradeceu o Prémio, invocando a sua “paixão pela área social”, sobre a qual o seu trabalho se debruça. “Acho que a minha tese se enquadra no contexto do prémio, sendo que aborda a inovação social e trabalha com o contexto português e brasileiro. Esta tese de quatro anos não se constituiu apenas durante os mesmos. Trabalho na área social há muitos anos. Esta foi uma pesquisa muito abrangente, tanto quantitativa como qualitativamente e esta vinda para Portugal provou-se muito satisfatória”, explicou.

Veja aqui a entrevista da CAL a Naldeir dos Santos Vieira.