“Miradas Migrantes” é o tema do CineSur em fevereiro

Etiquetas: , , , , , ,
___________________________________________________________________________________

A Mutirão apresenta o segundo ciclo temático do CineSur – Microcine Latino-americano de Lisboa: “Miradas Migrantes”. Dedicado à realidade das migrações na região, apresenta três longas metragens e uma curta, provenientes do México e do Brasil, entre 21 e 23 de fevereiro, pelas 19h00.

Pies Ligeros, do mexicano Juan Carlos Nuñez, abre o ciclo a 21 de fevereiro, narrando a história de dois dos melhores desportistas do México esquecidos, “sin pena ni gloria”. Os descendentes de Victoriano Churo e Cirildo Chacarito, corredores rarámuris que alcançaram a glória desportiva nos anos 90, reivindicam o seu lugar como os corredores mais resistentes do mundo.

No dia seguinte, a curta da mexicana Fernanda Valadez, 400 Maletas, conta a história de Magdalena, que viaja em busca de seu filho, desaparecido no caminho da fronteira com os Estados Unidos. Guiada unicamente pela sua vontade e pela memória viva de seu filho, Magdalena entra nesse território desolado e violento: a rota dos migrantes pelo México.

Al Otro Lado del Muro, do também mexicano Pau Ortiz, continua a temática do dia 22: A mãe de Ale e Rocío, dois adolescentes hondurenhos que emigraram para o México, é condenada a prisão injustamente. Como migrantes irregulares, o seu direito a viver, trabalhar e estudar no México fica em risco. Apesar de seus esforços, o muro que os separa da sua mãe cria um profundo conflito emocional.

A 23 de fevereiro, Era o Hotel Cambridge, da brasileira Eliane Caffé, fala de refugiados recém-chegados ao Brasil que dividem um velho edifício abandonado no centro de São Paulo com pessoas que, apesar de diferentes, enfrentam em conjunto com eles a vida nas ruas. O último dia deste ciclo conta com uma festa e a atuação do grupo de percussão Baque do Tejo.

CineSur – Microcine Latino-americano de Lisboa divide-se em dez ciclos temáticos (cada um três sessões) dedicados ao cinema na Casa da América Latina, ao longo do ano de 2018, contando com o apoio do ICA – Instituto do Cinema e do Audiovisual e da Casa da América Latina. As sessões realizam-se às quartas, quintas e sextas-feiras finais de cada mês, pelas 19h00.

Microcine é uma forma de exibição de cinema popular que nasceu há mais de trinta anos no Peru e que hoje é considerada no continente latino-americano e fora dele uma das redes mais importantes pela democratização do acesso ao cinema, contando com dezenas de microcines pela zona andina da América Latina.

A diversidade histórica, formal e temática, bem como a variedade de agentes cinematográficos (cineastas, produtores, fotógrafos e espetadores de diferentes origens e formações) são algumas das linhas orientadoras desta mostra, que aborda novas formas de pensar e de representar vindas da América Latina.

 

Consulte aqui a programação.
Mais informação em: https://www.amutirao.com/cinesur
Reservas: amutirao@gmail.com