‘CUBA, ANO ZERO?’ em exposição virtual no site da CAL

Etiquetas: , , , ,
___________________________________________________________________________________

Cuba, Ano Zero?, dos fotógrafos Luís Câmara e Carlos Lopes Franco, está em exposição no site da Casa da América Latina a partir de fevereiro de 2018.

As imagens retratam as personagens que povoam as ruas de Havana, e que transportam consigo simbolismos associados ao ambiente político incerto que se seguiu à morte de Fidel Castro.

Consulte aqui 30 das fotografias que fazem parte deste projeto.

A dupla de fotógrafos explica como surgiu o projeto: “Com a morte de Fidel Castro e a vontade de consolidar o caminho para o fim do embargo a que se sujeitou durante décadas, Cuba preparava-se para o Ano Zero de uma nova realidade plena de interrogações. Foi este o cenário de dúvida que nos foi dado a testemunhar e a fotografar quando aterrámos em Cuba dois dias depois das cinzas de Fidel terem sido depositadas em Santiago. Aqui, onde mais de 60 anos antes o périplo da Revolução se tinha iniciado, um longo ciclo que tanto marcou e transformou a sociedade Cubana chegava agora ao seu termo. Sob a sombra de ‘El Comandante en Jefe’ e da incerteza dos primeiros dias que se seguiram ao seu desaparecimento, a vida ia sendo normalmente retomada com a rica espontaneidade que veste o quotidiano deste país único. Uma nova viagem rumo a um destino ainda imprevisível, mas fortemente desejado, seja ele qual for, iniciava-se para um povo tão resiliente quanto apostado em ser feliz.”

A exposição Cuba, Ano Zero? estará também patente no âmbito do Festival Internacional de Fotografia de Avintes – iNstantes 2018, entre 2 de fevereiro e 3 de março, na Galeria MIra Forum, no Porto.

Carlos Lopes Franco (Mafra, 1953) é fotógrafo amador, engenheiro termodinâmico e investigador em gasificação de biomassa e eficiência energética. O seu percurso pelo mundo da fotografia iniciou-se em 1981. É Autor de três livros editados, “nós, os outros” (2012), “5 dias em Paris” (2014) e “olhar na alma” (2016).

Realizou exposições individuais em Lisboa (1998, 2013 e 2014), Miranda do Douro (2001, 2015), Porto (2015), Avintes (2015), Espanha (2015), Figueira da Foz (2015), Universidade Jorge Tadeo Lozano, em Bogotá / Colômbia (2016), Pavilhão do Conhecimento e Edif Central do Municipio, Lisboa, Museu m|i|mmo, Leiria (2017).

Luís Câmara (1959, Lisboa) iniciou a atividade fotográfica depois dos 20 anos. A partir dos anos 90, essa atividade intensificou-se e associou-se ao culto da viagem, grande paixão que se tem constituído como um dos temas nucleares na sua fotografia. Mantém ligações profissionais ás áreas da Engenharia e Arquitetura, que o levam a explorar a paisagem urbana, as suas geometrias e grafismos, abstrações e relação com os habitantes da cidade, conduzindo-o muitas vezes à mais espontânea fotografia de rua.

Publicou regularmente em diversas plataformas digitais, integrando e coordenando os eventos e exposições levados a cabo pelo coletivo de Fotógrafos “Mar de Imagens”, entre 2014 e 2015, e participado no EFI “ Encontro Fotográfico Ibérico em Orihuela, Espanha, em 2015. A sua primeira exposição a título individual, “Tudo e Todos”, esteve patente, em 2016, no CAE da Figueira da Foz, e, em 2017, no iNstantes, em Avintes.