Argentina e México no Portugal Exportador 2017

Etiquetas: , ,
___________________________________________________________________________________

Incentivos à internacionalização para a América Latina no Portugal Exportador

“As condições de negócio das nossas empresas dependem da estratégia que o governo define para o país”, afirmou o Secretário de Estado da Internacionalização, Eurico Brilhante Dias, durante a sessão de abertura do Portugal Exportador 2017, que se realizou a 22 de dezembro, no Centro de Congressos de Lisboa.

“Reunimos financiadores e intermediários de redes de mercado para continuar a investir no aumento das exportações e da internacionalização das empresas”, salientou ainda, referindo a importância da realização deste evento na sequência da aprovação do Programa Internacionalizar, (que aposta na internacionalização estratégica da economia portuguesa, tendo em conta os desafios económicos que o país se propõe ultrapassar, em seis eixos fundamentais).

O Ministro da Economia, Manuel Caldeira Cabral, destacou que nos últimos cinco anos Portugal aumentou consideravelmente as suas exportações, tendo ultrapassado já o “salto” aquando da entrada na União Europeia, evoluindo para a inclusão num “mercado totalmente aberto a nível global”. A linha de 600 milhões de euros de apoio à exportação lançada em conjunto com a banca, e que vai financiar atividade das empresas portuguesas e capitalizar o seu investimento.

“A Argentina é o ponto mais atrativo da América Latina” –  Oscar Armando Moscariello

A manhã de trabalhos começou com um workshop sobre a Argentina, que contou com a presença do Diretor Geral da Agência de Investimentos deste país, Pablo Tarantini. “A Argentina está a passar por um momento muito positivo”, garantiu Tarantino, que atribui uma “melhoria clara para todos os empresários e investidores do país” à política que tem vindo a ser estabelecida pelo presidente Mauricio Macri, nomeadamente a celebração de um novo Pacto Fiscal que impõe um maior controlo sobre o gasto público. Tarantini identificou algumas das oportunidades de investimento para os empresários portugueses na Argentina, dando destaque ao setor mineiro, sendo que uma das mais importantes reservas mineiras ao nível dos metais se situa neste país.

O Embaixador da Argentina em Portugal, Oscar Armando Moscariello, abordou as expectativas relativas ao país em 2018, incluindo a realização de reuniões bilaterais do G20, e a possibilidade de firmação do acordo do Mercosul com a União Europeia. “Portugal passaria a ser um ponto central, por ser a primeira geografia da Europa, bem como uma ligação a África”, afirmou, acrescentando ainda que, a mudança de governo em Portugal tem favorecido o investimento, com o aumento das transações comerciais.

O CEO da EST S.A., Mário Rodrigues, destacou o apoio de instituições como a AIP e a NERLEI na prossecução de um caminho internacional para a sua empresa, com sede na região de Leiria, tendo salientado também a natureza reivindicativa dos recursos humanos na região da América Latina em geral, como fator a ter em conta no momento de fazer negócios.

“O empresários portugueses são os heróis que Portugal precisa para continuar a crescer” – Alfredo Pérez Bravo

“O México é um ponto de entrada natural para a América do Norte”, referiu o Diretor do ProMéxico para Portugal, Andrés Espinosa, durante o Workshop dedicado a este país. Mais do que potenciar as relações com um mercado tão relevante como o dos Estados Unidos da América, a internacionalização para o México significa, na opinião de Espinosa, o aproveitamento de uma rede de infraestruturas sólida, com um abundante e especializado capital humano. “Sendo um país de serviços, à semelhança de Portugal, o México constitui o parceiro ideal para a colaboração à entrada noutros mercados”, acrescentou ainda.

O Embaixador do México em Portugal, Alfredo Pérez Bravo, afirmou que o México “surpreende” os que não o conhecem, ao mesmo nível que, por exemplo, a China surpreende. “É um país que tem mudado muito e que se move muito rápido”, explicou. Com cerca de 127 milhões de habitantes, o México constitui a 8ª economia mundial em termos de volume de negócios. 85% deste volume é  resultado do comércio com os EUA (o volume de negócio anual com Portugal de 600 milhões de dólares, corresponde a 10 horas de comércio com esse país). No entanto, “o investimento português tem evoluído bastante desde há quatro ou cinco anos atrás, e o México tem-se tornado o 2º maior mercado das empresas portuguesas na América Latina”, referiu o diplomata.

O CEO da Vieira & Lopes, Marco Lopes, ofereceu uma perspetiva sobre a experiência de internacionalização da empresa no México, avisando que “a dimensão do mercado é um desafio”, e afirmando que a contratação de engenheiros mexicanos foi relevante.