38 países promovem negócios no Ribatejo

Etiquetas: ,
___________________________________________________________________________________

“O crescimento das exportações na região do Ribatejo é superior à média do país (…) o que demonstra que a aposta na internacionalização tem sido uma estratégia acertada e de futuro” destacou Salomé Rafael, presidente da direcção da NERSANT Associação Empresarial da Região de Santarém, parceiros da CAL, no Encontro de Negócios NERSANT Business 2017 que decorreu de 23 a 25 de Outubro em Tomar.

Reforçar as relações comerciais entre os países participantes e o estabelecimento de parcerias de negócios foi o lema deste evento que nesta edição contou com a presença de empresários de 38 países, entre os quais as delegações oriundas do Brasil, Colômbia, México, Chile, Equador, República Dominicana e Peru só da América Latina.

“A Republica Dominicana não é só um excelente destino de turismo, é também um destino de negócios e pode ser um bom mercado para as empresas do Ribatejo que queiram investir ou exportar ou ainda como plataforma para os EUA, tendo em conta que o meu país celebrou acordos de livre comércio tanto com a União Europeia, como com os EUA. Instrumentos valiosos na hora de avaliar custos e benefícios ” explicou Júlio Suliman em conversa com a presidente da Câmara Municipal de Tomar, Anabela Freitas.

RB Ingenieros, S.A. e Grupo OH, empresas de construção civil de Chiriqui, Panamá, explicaram que o principal objectivo da sua vinda a Tomar foi “encontrar empresas parceiras que possam complementar serviços especializados que possam ser necessários em concursos no Panamá. O que é também uma boa entrada destas empresas no mercado panamiano”.

“É muito importante fazer o trabalho de casa na hora de investir ou exportar um produto. Perceber bem o que é preciso fazer, que custos vai ter o registo de um produto, os riscos no relacionamento com importadores, a fiscalidade, tudo é diferente de país para país. E tudo isso conta quando avaliamos o potencial de um negócio, se vale a pena avançar naquele sentido ou não” explicou a colombiana Olga Lucia Torres, de Aruna Asesores, que participa pela segunda vez neste certame.

“O grande valor desta iniciativa reside na vantagem de num único local, o empresário poder ter o primeiro contacto com importadores de diferentes mercados, sem se deslocar aos países e ter uma noção se vale ou não a pena considerar esse mercado. E verifiquei que se fizeram encomendas, fecharam-se negócios nestes três dias, um resultado muito bom” concluiu Cristina Valério, coordenadora empresarial da CAL presente no evento.