Lisboa apresentada como polo de empreendedorismo a entidades chilenas na CAL

Etiquetas: , , , , ,
___________________________________________________________________________________

“Lisboa tem um potencial turístico enorme e essa é, geralmente a razão para que as pessoas a conheçam. Mas só há relativamente pouco tempo é que conseguimos encontrar uma nova narrativa, de forma a que a cidade de Lisboa passasse a ser reconhecida por coisas diferentes”, afirmou o Diretor Municipal de Economia e Inovação da Câmara Municipal de Lisboa (CML), Paulo Soeiro de Carvalho, durante o evento de networking que reuniu uma delegação chilena da região de Valparaiso na Casa da América Latina, no dia 19 de setembro, e no qual apresentou o trabalho desenvolvido pela autarquia lisboeta, no âmbito da inovação e do empreendedorismo.

A Direção Municipal de Economia e Inovação da CML foi criada em 2011, pelo anterior presidente da CML, António Costa, sendo que não existia, nem em Lisboa, nem em nenhuma outra câmara municipal do país. Para Paulo Soeiro de Carvalho, esta iniciativa teve como propósito a ativação de áreas como “inovação, economia, conhecimento e empreendedorismo”, que não consistiam anteriormente uma prioridade para os municípios e cidades portuguesas. “Começámos em 2011, no seio de uma profunda crise financeira e económica, uma estratégia ancorada em quatro motores de investimento que consistia em dar o reconhecimento devido à cidade”, explicou o Diretor Municipal.

Estes quatro pontos focam-se em “transformar a cidade de Lisboa num hub atlântico para negócios (trabalhando, inclusive, de forma muito mais direta com a agência Invest Lisboa e com a Câmara de Comércio e Indústria Portuguesa); fazer de Lisboa uma startup city; utilizar os ativos de investigação da maior cidade universitária do país (desenhando uma plataforma para atrair universitários – Study in Lisbon); definir quais as indústrias do futuro, os atores económicos que vão ser motor de crescimento da nossa economia e os novos clusters estratégicos”, como enumerou Paulo de Carvalho.

Em termos de visibilidade face ao empreendedorismo, Paulo de Carvalho salienta o facto de Lisboa ter sido palco de um dos maiores eventos mundiais na área da inovação em 2016 – o Web Summit que voltará a realizar-se este ano, com a prespectiva de superar as milhares de empresas e empreendedores do ano passado. Acrescentou ainda que o objetivo estratégico definido em 2011 mantém-se: “Transformar Lisboa numa das cidades mais inovadoras e competitivas da Europa”, e este, afirma o mesmo, “não é um ponto de chegada” para cumprir num par de anos, mas sim uma ambição a longo prazo. O Diretor Municipal acredita que potenciar o empreendedorismo é aproveitar a capacidade natural de Lisboa em atrair pessoas e investimento: “Temos uma capacidade de afirmação turística extraordinária e espero que com a vossa visita possamos atrair investidores, empresas e instituições chilenas a Lisboa. Conto que passem a palavra do que se está a passar aqui”.

Juan Paulo Vega, da CONICYT – Comisión Nacional de Investigación Científica y Tecnológica, em Santiago do Chile, destacou a oportunidade de, em dois dias intensos, ter criado uma visão geral da capacidade produtiva das empresas portuguesas e das linhas estruturais do governo da cidade, bem como tomar conhecimento dos instrumentos de apoio à ciência, tecnologia e inovação.

Sebastian Alonzo Mujica, da Pontificia – Universidade Católica de Valparaíso, afirmou que esta visita lhe permitiu “compreender como funciona o ecossistema de inovação e empreendedorismo da cidade de Lisboa, tendo conseguido adquirir contactos relevantes, bem como garantir reuniões com quatro diferentes incubadoras portuguesas, com as quais a universidade poderá colaborar e estabelecer acordos”.

Por outro lado, no sector da construção civil e infraestruturas, Miguel Mujica, do Servício de Vivienda y Urbanizacíon Regional de Valparaíso, alerta para alguns dos desafios para as empresas deste sector. No que toca a habitação social no Chile “é fundamental encontrar novos processos produtivos que empreguem materiais e processos construtivos inovadores que permitam construir uma casa digna, dentro do valor definido pelo Estado. Por outro lado, no que toca à construção de estrada ou a renovação destas, dentro de uma cidade, o elemento primordial é o tempo. Quanto mais rápido melhor, menos perturba a vida da cidade. Por isso empresas inovadoras neste sector são muito bem-vindas a Valparaiso” conclui.

O evento contou ainda com a participação do INDAP (Instituto de Desarrollo Agropecuario), Incubadora de Negocios CHRYSALIS, Agencia de Sustentabilidad y Cambio Climático, Pontificia Universidad Católica de Valparaíso, Municipalidad de San Antonio, Centro Regional de Estudios en Alimentos Saludables, Universidad de Playa Ancha, Centro de Entomología Aplicada, Municipalidad de Quillota, PROCHILE Valparaíso, Cámara Regional del Comercio de Valparaíso, CORFO (Corporación de Fomento de la Producción), SERCOTEC (Servicio de Cooperación Técnica), INACAP Valparaíso (Centro de Formación Técnica), ONG Corporación Acción emprendedora, División de Planificación del GORE de Valparaíso (Gobierno Regional), Dirección del Departamento Regional de Conicyt (Comisión Nacional de Investigación Científica y Tecnológica).