Delegação Paraguaia visita Portugal

Etiquetas: , , ,
___________________________________________________________________________________

O Vice-ministro de Mipymes (Micro, Pequenas e Medianas Empresas) do Paraguai, Víctor Bernal, o Director Geral do Gabinete Técnico do Ministro de Indústria e Comercio do Paraguai, Carlino Velázquez, a Encarregada de Negócios da Embaixada do Paraguai, Ana Isabel Rodríguez, acompanhados pela Ciretora do AgroCluster Ribatejo, Ana Pompeu e pela Coordenadora Económica da Casa da América Latina, Cristina Valério visitaram no passado dia 7 de setembro o Grupo Sugal, com o intuito de conhecer uma das mais fortes empresas do setor agro-alimentar em Portugal. Esta visita a Portugal que é composta também por encontros na AICEP e Ministério dos Negócios Estrangeiros tem como finalidade preparar a próxima visita do Ministro de Indústria e Comercio do Paraguai ao nosso país que decorrerá no final deste mês e pretende “reforçar as relações económicas entre os dois países e dar a conhecer as oportunidades de uma economia estável, um país com 70% da população abaixo dos 40 anos e benefícios muito interessantes para empresas que se queiram instalar no Paraguai” adiantou Víctor Bernal.

Pedro Paiva Couceiro CFO apresentou a maior empresa de processamento de tomate em Portugal e uma das melhores do mundo, num momento em que a Fábrica se encontra e plena campanha e explicou aos visitantes como uma empresa com 50 anos, conseguiu crescer sustentavelmente e manter o nível de qualidade exigida por um mercado altamente competitivo e um produto tão delicado.

Com fábricas em Portugal (Benavente e Azambuja), em Sevilha e no Chile (Talca e Tilcoco) o Grupo Sugal exporta para mais de 70 países e “o segredo do sucesso, além de trabalho duro, consiste no cuidado dos investimentos que foram feitos até aqui, como o investimento no Chile e o acompanhamento de toda a cadeia produtiva e uma aposta rigorosa na qualidade e frescura do produto” explicou Pedro Couceiro.

A relação cuidada e próxima entre o agricultor, a Sugal e os clientes também se tornou a chave para uma cadeia que funciona. “Seja em Portugal, no Chile ou em Espanha. Trata-se de um ecossistema frágil que necessita de atenção 24 sobre 24. Milhares de toneladas de tomate que não podem esperar, numa empresa global onde hoje estamos aqui, mas amanhã podemos ir ao Paraguai se a oportunidade surgir e for interessante para o Grupo” adiantou Juan Manuel Mira, Global CCO do Grupo, um chileno enamorado por Portugal, mas cujo mundo se tornou a sua casa e que aguarda as futuras oportunidades que o Paraguai possa oferecer. “Afinal tudo se resume a contas bem feitas, ao pay back e à manutenção de milhares de postos de trabalho espalhados pelo mundo”, concluiu.