Conferência “Violeta Parra: doblada de amor” na FCSH

Etiquetas: , ,
___________________________________________________________________________________

O Instituto de Etnomusicologia – Centro de Estudos em Música e Dança organiza, em parceria com a Passado e Presente – Lisboa Capital Ibero-americana de Cultura 2017 e o Departamento de Ciências Musicais da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa (FCSH-UNL), a conferência “Violeta Parra: doblada de amor”, no dia 29 de junho, entre as 17h00 e as 20h00, na sala Multiusos 1 (Edifício ID, Piso 0) da FCSH-UNL. A entrada é livre.

O poeta de resistência chileno Raúl Zurita é o responsável por esta homenagem a uma das vozes mais importantes do Chile – Violeta Parra. Na múltipla obra da artista encontram-se expressas todas as emoções e sentimentos humanos. As suas canções mostram-nos uma arte total, em que o amor, o sonho e as injustiças da sociedade são representados.

No final, os alunos de Ciências Musicais Andrea Musio (Doutoramento em Etnomusicologia) e Beatriz Borges (Licenciatura em Ciências Musicais) relembram canções de Violeta Parra e Vitor Jara.

Raúl Zurita

Poeta e artista chileno, Raúl Zurita nasceu em Santiago em 1950. Estudou Engenharia na Universidade Santa María de Valparaíso. Entre os seus livros contam-se Purgatorio (1979), Anteparaíso (1982), Canto a su amor desaparecido (1985), El amor de Chile (1987), La Vida Nueva (1994), INRI (2003), Los países muertos (2006), In memoriam (2008), Las ciudades de agua (2008), Cuadernos de guerra (2009), Sueños para Kurosawa (2003), e Zurita (2011). Em 1979 criou com outros artistas o CADA, Colectivo de Acciones de Arte, realizando projetos artísticos de resistência política.

Recebeu as distinções Guggenheim e DAAD da Alemanha e, entre outros, o Prémio Pericles de Oro da Itália (1994), o Prémio Pablo Neruda à obra de um poeta com menos de 40 anos (1998), o Prémio Municipal de Literatura (1985), Prémio Nacional de Literatura (2000), Prémio José Lezama Lima de Cuba (2005) e o Prémio Iberoamericano de Poesía Pablo Neruda (2016). Foi nomeado Doutor Honoris Causa pelas universidades de Alicante (Espanha) e Santa Maria (Chile).