Universidade Paris – Sorbonne visitou a Casa da América Latina

Etiquetas: ,
___________________________________________________________________________________

A Universidade de Paris-Sorbonne, organizou uma visita a Lisboa, no âmbito do curso de Mestrado em Estudos Ibéricos e Latino-americanos – Gestão Empresarial e Comércio Internacional, que incluiu um encontro na Casa da América Latina no dia 24 de março.

A visita contou com a presença do Coordenador-Geral de Lisboa Capital Ibero-americana da Cultura, António Pinto Ribeiro, que afirmou ser relevante “fazer uma revisão das narrativas que unem os países da América Latina a Portugal, a partir das visões que vêm do outro lado do Atlântico”, sendo esse também o objetivo a que se propõe, contando com o envolvimento de 174 equipamentos da cidade em cerca de 142 atividades neste projeto anual.

António Pinto Ribeiro enumerou os três eixos da programação da Capital Ibero-americana de Cultura, nomeadamente: a questão indígena (que inclui um passado de “destruição maciça de impérios e civilizações” e o “reconhecimento de múltiplas línguas nacionais que foram escamoteadas durante a ditadura”); por outro lado, a dimensão afro-descendente (um “tema sensível”, que tem por base o negócio de escravos para a América, que acabou por ser “decisivo para o desenvolvimento das nações latino-americanas”); e, por fim, a influência das migrações (“não há ninguém em Portugal que não tenha familiares que foram emigrados para a América. Esta perspetiva histórica faz-nos refletir sobre as questões atuais relativas ao acolhimento de refugiados”).

A Diretora-Adjunta de Relações Institucionais e Mercados Externos da Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal (AICEP), Francisca Lucena e Vale, expôs aos estudantes as incumbências desta agência que está presente em 68 países e 5 continentes e busca a “promoção e apoio às empresas na sua chegada aos mercados externos, bem como a angariação de investimento estruturante”.

Estando representada em países como Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, México e Venezuela, a AICEP associa-se aos “vários organismos económicos internacionais da região”, como é o caso das 10 embaixadas latino-americanas com as quais estabelece parcerias, bem como da Secretaria Geral Ibero-americana (SEGIB) ou do Banco de Desenvolvimento da América Latina (CAF). Francisca Lucena e Vale destacou ainda o papel das recém formadas “Multilatinas”, que têm uma relevância acrescida no contexto da procura das empresas europeias pela internacionalização em mercados diversificados.

Cuba

A Embaixadora de Cuba em Portugal, Johana Tablada de La Torre, falou sobre a relação entre Portugal e Cuba no âmbito comercial, histórico e cultural. “Temos uma relação excelente com Portugal, uma das melhores na Europa, que se prolonga de forma ininterrupta há quase 100 anos e na qual tem estado sempre presente a nossa proximidade geográfica, histórica e cultural na base de qualquer decisão”, afirmou a diplomata.

Johana Tablada de La Torre apresentou as oportunidades de negócios, trasnsformações na economia de Cuba e o novo enquadramento legal para incentivar o investimento estrangeiro. A Embaixadora explicou que “embora muitos acreditem que o bloqueio terminou, ainda existe, e é o sistema de sanções unilaterais mais abrangente e sofisticado do mundo até os dias de hoje, o qual tem sido repudiado há mais de 24 anos pela comunidade internacional. Só o propósito de sustentar uma política que não tem apoio explica os preconceitos e duplo padrão presente na comunicação social quando se trata de Cuba. Para justificar essa política, fala-se de violação dos direitos humanos em Cuba, quando na realidade, embora tenhamos problemas, Cuba é um dos países que tem dado um dos maiores contributos no que diz respeito aos direitos humanos do seu povo, com indicadores que o colocam nos primeiros índices de desenvolvimento humano, é o primeiro país na América Latina no cumprimento de todos os Objectivos de Desenvolvimento do Milénio, o primeiro no mundo a eliminar a transmissão do VIH/Sida e sífilis de mãe para filho, e o que tem a maior percentagem do seu PIB dedicada ao sistema universal de saúde e educação”.

A sessão terminou com uma visita à exposição Conexões Afro-Ibero-Americanas, patente na Casa das Galeotas – sede da Casa da América Latina e União das Cidades Capitais de Língua Portuguesa (UCCLA).

Galeria de fotografias