Embaixadora do Uruguai: Semana do Uruguai dá ênfase à Cultura e História

Etiquetas: , , ,
___________________________________________________________________________________

A Embaixadora do Uruguai em Portugal, Brigida Scaffo, falou com a Casa da América Latina sobre as atividades organizadas por esta embaixada no âmbito da Semana do Uruguai em Portugal, que decorre entre 6 e 15 de março. A programação pretende mostrar a cultura e história do país. Serão organizados eventos diversos onde será debatida a cooperação com Portugal, a literatura e a economia. Sem esquecer, claro, a gastronomia. Consulte aqui o programa da Semana do Uruguai em Portugal.

O que podemos esperar da Semana do Uruguai em Portugal? Após a realização da Semana de Portugal no Uruguai, em abril do ano passado, decidiram repetir a ocasião deste lado do Atlântico?

Depois de falarmos com as pessoas da Embaixada de Portugal no Uruguai, chegámos à conclusão que seria bom alternar um ano em cada país. Assim, podemos promover uma série de atividades que permitirão conhecer-nos melhor. O nosso desejo acima de tudo é que os portugueses conheçam o Uruguai e que os uruguaios conheçam Portugal. Neste caso, esta primeira Semana do Uruguai em Portugal dá ênfase à parte académico-cultural, com muitos seminários e palestras relacionados com a história e literatura dos dois países.

Que tipo de atividades destaca?

No que toca à parte académica, virão pessoas muito capacitadas da Universidade Pablo Olavide de Sevilha e da Universidade Nova de Lisboa, que têm colaborado muito entre si. Estas universidade estão responsáveis pela programação académica, e estamos-lhes muito agradecidos, pois trazem cá oradores de alto nível, e inclusive de outros países para dar as palestras.

Vem também a Portugal a pianista uruguaia de grande reputação Polly Ferman, bem como o poeta uruguaio Rafael Courtoisie, que falará de escritores uruguaios e portugueses, e teremos ainda as comemorações do centenário do falecimento de José Enrique Rodó – a embaixada pretende evocar a figura deste grande escritor e filósofo do século passado.

Vamos celebrar os 100 anos do tango “Cumparsita”, com um concerto que inclui Habaneras, Milongas e Tangos. O Tango, como se sabe, é uma dança típica do Rio de la Plata e tem a sua origem em musicalidades oriundas de Espanha. Polly Ferman fará todo o percurso desde as origens do Tango, que no fundo é uma mistura de todas as suas influências. É uma música forte que nasceu no porto de Montevideu e no porto de Buenos Aires e tem também descendência dos escravos negros que se encontravam principalmente no Uruguai. Vamos ter uma demonstração da dança na Universidade Nova, no dia 8 de março.

A programação da Semana do Uruguai em Portugal vai ocupar também a sede da Casa da América Latina…

Teremos dois filmes durante a Semana do Uruguai, um deles exibido na FCSH-UNL, “Rambleras”, de Daniela Speranza, no dia 9 de março, e “Los Modernos”, de Marcela Matta, a 15 de março, num evento que vai contar com a presença da realizadora no Instituto Cervantes.

Relativamente à área de negócios, temos um workshop sobre o agro-alimentar na América Latina, que tem como caso de estudo o Uruguai, na Casa da América Latina, com a participação do Instituto de Investimentos do Uruguai através de skype para as empresas que estejam interessadas em investir.

A Jornada de Avaliação da Cooperação Técnica, relativa ao Convénio de Cooperação Médica entre Portugal e o Uruguai, realiza-se também na Casa da América Latina, no dia 13 de março. Esta parceria, que foi assinada por volta de 2009, foi muito positiva para os dois países. Existem cá médicos uruguaios que foram formados em Medicina de Emergência e foram convidados outros médicos uruguaios a aprofundar o tema dos transplantes hepáticos. Virá a Dra. Solange Gerona, por exemplo, e contamos com a presença do Dr. Eduardo Barroso e da embaixadora Luísa Bastos de Almeida, que foi a embaixadora no Uruguai aquando da assinatura do convénio.

É um programa muito centrado na educação e na cultura. Estes são eixos essenciais para a ligação entre países? Por exemplo, a língua portuguesa é ensinada desde a primária no Uruguai, também é certamente um fator de proximidade…

Sem dúvida, a língua é um fator de ligação. Na época colonial fomos uma colónia portuguesa – a Colónia de Sacramento é Património Mundial da UNESCO – uma pequena cidade no Uruguai que é uma autêntica réplica portuguesa que encanta qualquer português que a visite. Ninguém imagina que num país que fala espanhol exista esta cidade que foi construída e conservada e tem todas as características da arquitetura portuguesa. É primordial que as pessoas tenham conhecimento desta relação. Quanto à língua, é ainda mais relevante agora que estamos na CPLP, mas já há muito tempo que ensinamos o português nas escolas do Uruguai como língua opcional.

A cultura é o que une os povos, o comércio pode ir e voltar, mas ela fica. Mesmo no que toca ao Tango, por exemplo, trata-se de uma música nostálgica, triste, bastante parecida com o Fado. Na Semana de Portugal no Uruguai tivemos uma cantora de Fado magnífica, e por isso decidimos trazer também cá uma representante do Tango. Vamos incluir degustações de empanadas e outros produtos da gastronomia uruguaia em várias atividades da Semana exatamente para que se conheça mais um pouco do país.

Acho que é um programa ambicioso e espero que tenhamos muito público, porque merece, tem atividades de muita qualidade e para todos os gostos.