Setor agroalimentar chileno debatido no MARL

Etiquetas: , , ,
___________________________________________________________________________________

A Casa da América Latina, a Embaixada do Chile em Portugal, a Prochile e o Mercado Abastecedor da Região de Lisboa (MARL) organizaram um encontro para promover a realização de negócios com o Chile no sector agroalimentar, no dia 22 de novembro, dando a possibilidade a empresas importadoras e distribuidoras de conhecer novas oportunidades neste setor, bem como dar a conhecer a atualidade chilena e a sua oferta exportadora.

Rui Martins, administrador da SIMAB, agradeceu a presença das empresas no evento e elogiou a organização de iniciativas semelhantes, afirmando que o MARL e a SIMAB estão abertos a receber mais importadores interessados em explorar mercados da América Latina.
Seguiu-se a intervenção do Embaixador do Chile em Portugal, Germán Guerrero: “num mercado global, Portugal geograficamente é o primeiro país da Europa que surge no horizonte das empresas chilenas, mas as estatísticas do comércio bilateral não traduzem essa proximidade. Contudo, quando falamos de cerejas do Fundão percebemos que esse comércio complementar já existe, mas necessita de ser incrementado. Por isso, temos de continuar a trabalhar este mútuo conhecimento e dessa forma acredito que consigamos melhorar esses números a bem dos nossos fantásticos países” concluiu.

“Chile é um país seguro e cumpridor. Uma característica fundamental para quem faz negócios. A diversificação de novas empresas para importar melhores produtos e a um preço mais acessível é um dos objectivos destes eventos e isso também é pensar em Portugal. Sobretudo num país onde as famílias investem parte considerável do seu orçamento na alimentação” referiu Cristina Valério, Coordenadora da área empresarial da CAL.

A diretora da ProChile – agência governamental para a promoção da exportação de produtos e serviços chilenos, Lorena Sepúlveda, ofereceu às empresas presentes uma perspetiva global do mercado de frutas, mas não só, no Chile. “Há um potencial enorme de relacionamento direto com empresas chilenas. Sem passar por intermediários e é isso que estamos aqui a fazer. Estamos disponíveis para ampliar esse caminho que alguns de vós já conhecem. Venham ter connosco”.

A garantia de qualidade das frutas chilenas é reconhecida internacionalmente, pela sua rastreabilidade, mas também pelo sabor natural e inocuidade. Lorena Sepúlveda salientou este país como “aberto ao mundo”, através de 25 acordos comerciais com 64 economias mundiais. Nº1 na exportação de mirtilos frescos, cerejas frescas, ameixas desidratadas e maçãs desidratadas, o Chile é o maior exportador de fruta fresca do Hemisfério Sul, possuindo no seu território quase todos os climas, o que permite a proliferação de “uma variedade imensa de fruta”.

Empresas como a Marfresco, Ferreira da Silva, Gelpeixe, Pastelaria Chafariz, Eporifrutas, Master Fruits ou a Associação da Indústria Alimentar pelo Frios – ALIF, estiveram presentes no evento, dando também o seu testemunho e expondo as suas metas de internacionalização.

Galeria de fotos