Missão Empresarial à Argentina e ao Chile promovida no Santander Totta

Etiquetas: , , , ,
___________________________________________________________________________________

A Argentina e o Chile foram retratados como “dois países relativamente recentes no processo de internacionalização das empresas portuguesas, com um mar de oportunidades”, pelo coordenador da Rede Empresas do banco Santander Totta, Paulo Natal, durante o workshop organizado pelo banco, com o apoio da Casa da América Latina, no dia 3 de outubro.

O objetivo principal foi divulgar a Missão Empresarial a estes dois países, que decorre entre 22 e 29 de outubro, organizada pela Fundação AIP e a Câmara de Comércio Portugal Atlântico Sul, também com o apoio da CAL, da Embaixada da Argentina e da Embaixada do Chile.

Paulo Natal começou por dar duas razões primordiais para a internacionalização das empresas portuguesas na América Latina em parceria com o Santander Totta, em especial o Chile e a Argentina: a primeira prende-se com o facto de o Santander ser “o maior banco da América Latina”, com presença “forte” nestes dois países, e, por outro lado, a existência, em Portugal, de uma equipa especializada de International Desk, que auxilia as empresas na perspetiva de entrada no mercado externo.

Estas duas economias são, para o presidente-adjunto da Fundação AIP, André Magrinho, prioridade na lógica atual de diversificação de mercados: “Portugal tem de encontrar novos destinos de investimento e para as exportações e a América Latina é um destino prioritário – a promoção da Missão Empresarial a estes dois países, entre 22 e 29 de outubro, é a prova de que existem repercussões deste trabalho no terreno. Temos de fazer mais e melhor, pois todos beneficiaremos com esta relação bilateral e multilateral. Vamos trilhar este caminho conjuntamente.”

A secretária-geral da Casa da América Latina, Manuela Júdice, afirmou que, após cinco anos de parceria desta associação com a Fundação AIP, está agora a contemplar os seus frutos. Da mesma forma, mostra-se confiante na relação com o associado da CAL Santander Totta: “Já não é a primeira vez que trabalhamos com o International Desk do Santander, e sempre com grande sucesso. E estou convicta que hoje não será diferente. Teremos todos a ganhar em conhecer um pouco mais, quer do contexto macro-económico destes países, quer das capacidades do banco Santander, o maior banco da América Latina, para apoiar estas missões”, afirmou.

O embaixador da Argentina em Portugal, Oscar Moscariello, destacou as oportunidades nos setores da energia, minério, infraestruturas, agro-indústria e bens industriais, declarando estar confiante no novo governo do país, que contribuiu para o aumento de oportunidades de investimento, através de medidas como “o regresso aos mercados internacionais, a resolução do problema da inflação, a eliminação das retenções em todos os produtos”, entre outros. Marcelo Santoro, economista do Santander Río, fez uma avaliação do contexto macroeconómico da Argentina.

Já o embaixador do Chile em Portugal, Germán Guerrero, salientou o “sistema financeiro saudável” e a “boa avaliação por parte das agências de rating” do Chile, país dotado da economia mais competitiva da América Latina e a 33ª à escala global. O embaixador lembrou ainda que a capital, Santiago do Chile, é considerada uma das 15 cidades mais baratas do mundo para a instalação de empresas estrangeiras, dando um exemplo de empreendedorismo português em terras chilenas: Carlos George Nascimento, conhecido como “o editor dos chilenos”.

Seguidamente, o economista do Santander Chile, Cecil Diaz, avaliou também o contexto macroeconómico deste país, traçando uma imagem de uma “economia forte e diversificada”, que protege o investidor e onde existe a facilidade em criar empresas a partir da relação com parceiros locais, apesar da “grande competitividade” que existe. Terminou salientando o baixo valor da mão de obra qualificada chilena e o baixo risco do país.
Consulte a galeria de fotografias