António Garcia Nunes, Steerin: “Valorizar o presente para um futuro sustentável”

Etiquetas: , , ,
___________________________________________________________________________________

Uma empresa com caráter inovador, no desenvolvimento de projetos sustentáveis e resposta aos desafios da Gestão de Resíduos em Portugal e Países em Vias de Desenvolvimento.

Portugal, como país integrante da União Europeia, tem vindo a desenvolver uma política de Gestão Integrada de Resíduos em linha com as exigências comunitárias e respetivas metas delineadas para os Estados Membros.

A partir da década de 90, Portugal deu início a uma revolução no setor da gestão de resíduos, visando a erradicação de lixeiras e a construção de infraestruturas de gestão de resíduos que conferissem ao país o destino final adequado dos resíduos e respetiva valorização material e energética.

Com efeito, até ao presente têm vindo a ser implantadas no país, com sucesso, as melhores técnicas disponíveis no mercado para o setor, garantindo-se uma experiência única e em linha de conta com os requisitos ambientais mais exigentes a nível internacional, patentes nas Diretivas Comunitárias.

Nesse contexto, a Steerin – Energia e Ambiente, tem vindo a aplicar o extenso know-how detido pelos seus quadros e parceiros no desenvolvimento de projetos nacionais e internacionais, visando com os seus serviços de consultoria a conceção de soluções para aproveitamento de Recursos Endógenos, tal como de Gestão de Resíduos, à medida de cada cliente, e executando desde a conceção e engenharia de base até à supervisão em obra e comissionamento das instalações.

No mercado da América Latina, urge a necessidade de serem implementadas medidas regulatórias e políticas sustentáveis para a criação de um Sistema Integrado de Gestão de Resíduos que possibilite, a curto prazo, o destino final adequado dos resíduos.

No presente, em grande parte dos países da América Latina, os resíduos são depositados em lixeiras a céu aberto, sendo a sua redução promovida pela incineração sem qualquer controlo dos efeitos nocivos que poderão ser gerados para a saúde pública, tal como a potencial contaminação do nível freático pela ausência de impermeabilização das áreas de deposição de resíduos.

O Uruguai, a par de outros países, tem manifestado um forte interesse em reverter a situação existente, abrindo-se por essa via a possibilidade de serem desenvolvidos projetos com base nas melhores práticas, e onde as empresas do setor em Portugal poderão desempenhar um papel preponderante, quer pela proximidade linguística e cultural, como pela experiência de longos anos no setor, já amadurecida e reconhecida.

A Missão Empresarial ao Uruguai, organizada pela Fundação AIP, Câmara de Comércio Portugal Atlântico Sul, e Casa da América Latina, que decorreu em Abril de 2016, permitiu à Steerin o contacto direto com as entidades gestoras e reguladoras do setor, abrindo portas a eventuais parcerias futuras no desenvolvimento de projetos.

O recurso a parcerias locais com empresas do setor revela-se aliciante face à capacidade dos quadros técnicos responsáveis pela gestão de resíduos nas diversas intendências como Colónia, Canelones e Montevideu que manifestaram sempre na presença da Steerin um interesse abrangente em partilhar experiências no setor.

Há que ter em atenção, contudo, que um projeto nesta área poderá demorar diversos anos até à sua conclusão, pois geralmente é sujeito a uma forte discussão pública e exige uma articulação entre os diversos intervenientes (estado, entidade reguladora, entidades gestoras, entre outros).

O investimento na internacionalização exigirá, assim, uma ponderação sobre o timing certo para a concretização dos projetos, o empenho do parceiro local e um investimento financeiro publico que terá necessariamente de existir .

António Garcia Nunes – CEO da Steerin – Energia e Ambiente, Lda