Portugal Connect – CCILM: “Há 3 anos a estabelecer as TICE no México”

Etiquetas: , , ,
___________________________________________________________________________________

[Testemunho de Pedro Neto, Coordenador do Portugal Connect – CCILM: Projeto Conjunto de Internacionalização México]

O Portugal Connect é um projeto conjunto de internacionalização promovido pela Câmara de Comércio e Indústria Luso-Mexicana (CCILM) que está direcionado para empresas portuguesas de base tecnológica que pretendem entrar ou consolidar a sua presença no mercado mexicano. O conjunto das empresas aderentes integra áreas de reconhecida capacidade técnica e pretende ser representativo de um Portugal tecnológico e inovador, contribuindo para a afirmação da imagem de um país de referência tecnológica à escala mundial.

Porquê o mercado Mexicano?

O México é um dos países com uma das economias mais competitivas a nível mundial com tratados comerciais estabelecidos com mais de 40 países. As suas condições de estabilidade política e macroeconomia abrem imensas possibilidades de reforço no relacionamento económico entre os dois países. Este facto traduz-se no crescente aumento de empresas portuguesas que procuram este mercado para colocar o seus produtos ou instalarem-se ali, tendo sido particularmente interessantes os investimentos portugueses nos sectores auto-motriz, moldes, tecnologias de informação, nas infraestruturas, na energia e no ambiente.
No ano de 2014 registam-se 606 empresas portuguesas a exportarem para este mercado. A integração no bloco económico NAFTA (EUA, Canadá e México) e mais recentemente como membro da Aliança do Pacifico (Peru, Colômbia, Chile e México) são outros pontos favoráveis ao mercado mexicano como base triangular de acesso as outros mercados desenvolvidos.
No que respeita a Portugal pode servir igualmente como base de apoio das empresas mexicanas nos mercados africanos de expressão portuguesa, nomeadamente Angola e Moçambique.

Projeto da CCILM: PORTUGAL CONNECT

Com o apoio financeiro do anterior quadro comunitário e com um orçamento de 400 mil euros, o projeto teve o seu início em junho de 2014, com a adesão de 11 empresas portuguesas do setor das TICE.

A Câmara de Comércio e Indústria Luso-Mexicana (CCILM) é uma associação sem fins lucrativos, de caráter empresarial, que representa os interesses dos vários agentes económicos portugueses e mexicanos. Constituída em 2004 tem como objetivo primeiro o reforço e fortalecimento das relações sócio-económicas bilaterais. A identificação de mercados e parceiros para investimento, mediação de contactos entre agentes económicos, realização de atividades promocionais, apoio a ideias e projetos de cooperação reciprocamente vantajosos, elaboração de estudos de mercado são alguns dos pontos fundamentais da missão da CCILM.

O programa de ações promocionais do mercado mexicano incluiu a concretização de cinco deslocações conjuntas ao mercado das quais, pela sua importância e dimensão, destacamos a participação no “World Congress on IT 2014” e no “Virtual Educa 2015”.
Estando a primeira fase do projeto nesta altura concluído, as empresas aderentes estão já a desenvolver os primeiros negócios e a ganharem autonomia no mercado, contando para isso com o apoio da estrutura de representação da CCILM no México e que constituiu, ao longo do projeto, um dos fatores essenciais para os resultados conseguidos.

Encontra-se a decorrer a próxima fase do Portugal Connect, que terá o dobro da dotação orçamental da fase anterior (agora cofinanciada pelo Portugal 2020) e alargado o âmbito, de forma a abranger todas as empresas de base tecnológica.
Este novo projeto prevê, no presente 2016, um programa de ações direcionadas para o mercado composto por várias missões empresariais e a participação em importantes feiras nos setores estratégicos no México, tais como indústria automóvel, educação, saúde ou aeroespacial.
A primeira Missão Empresarial, que conta com a participação de 10 PME´s decorrerá entre 14 de fevereiro e 19 de março na Cidade Do México e em Monterrey. A segunda Missão e Feira ocorrerá no mês de abril em Guadalajara.

Para além da participação em feiras e eventos promocionais, o Portugal Connect oferece às empresas aderentes o seguinte conjunto de serviços:
i) Enquadramento institucional através da rede de apoio da CCILM em Portugal e no México;
ii) Suporte técnico e disponibilização de informação relativa ao mercado mexicano;
iii) Assistência na identificação de interlocutores de negócio e apoio nos processos de decisão;
iv) Agendamento de reuniões e acompanhamento de processos negociais no terreno;
v) Partilha de instalações na delegação da CCILM na Cidade do México;
vi) Apoio financeiro do Portugal 2020, a uma taxa de 45%, durante o período de execução do projeto.

Entre outros objetivos gerais deste projeto, entendidos como vantagens para as empresas aderentes, teremos a afetação eficiente de recursos conjuntos de internacionalização, a diminuição dos custos de contexto neste destino e a alavancagem de investimentos coletivos e individuais.

Em particular, este projeto irá beneficiar da experiência adquirida ao longo da execução da fase anterior, não só com o alargamento da base de apoio da CCILM no México mas também da continuidade dos contactos estabelecidos com as entidades governamentais mexicanas e com as associações empresariais deste país, visando o consequente aumento de possibilidades de exportação/internacionalização para o México.
Com uma economia de enorme dimensão, e importante plataforma para os outros países da América Latina e Estados Unidos, ávida por soluções tecnológicas que introduzam eficiência nos processos produtivos e com um setor empresarial carente de soluções tecnológicas inovadoras, o governo do México tem em curso um importante conjunto de reformas visando a modernização das suas infraestruturas e um forte interesse em atrair projetos que melhorem a produtividade do país.

A boa reputação dos produtos portugueses e a associação ao Portugal Connect, vai possibilitar às empresas portuguesas de vocação tecnológica a exploração de um imenso território de oportunidades.

Pedro Neto