Texto de Caio Vaz Sarti sobre estágio VdA

Etiquetas: ,
___________________________________________________________________________________

[Texto enviado por Caio Vaz Sarti, estagiário na Vieira de Almeida & Associados, ao abrigo de um protocolo da VdA com a Casa da América Latina]

Tive a felicidade de ser escolhido para o Estágio Internacional em Direito – brilhante iniciativa da Casa da América Latina (CAL) em conjunto com a Sociedade de Advogados Vieira de Almeida e Associados (VdA) – e, assim, a honra de integrar desde Agosto de 2014 a referida sociedade de advogados, onde fui muito bem recebido.

Estou, desde então, a vivenciar uma experiência única e muito frutífera, tanto a nível profissional quanto pessoal. No âmbito profissional, beneficio principalmente das inúmeras trocas de experiências com os meus colegas advogados portugueses, extremamente qualificados e preparados. O meu estágio acontece na área de prática de Contencioso & Arbitragem (área na qual também advogo no Rio de Janeiro), onde tenho contribuído em alguns casos, o que me tem permitido desenvolver conhecimento no direito português, africano e europeu, bem como adquirir novos métodos de trabalho, especialmente na área processual e em arbitragem. Nesse ponto, ressalto, a título de exemplo, a experiência recente partilhada pelos meus colegas com a entrada em vigor do Novo Código de Processo Civil Português, ocorrida em 2013, a qual será muito útil para a minha actividade no Brasil, pois muito em breve também haverá a renovação da legislação processual civil. No âmbito da arbitragem, a troca de experiências a nível europeu e internacional está a ser muito produtiva.

No que se refere à vida pessoal, as trocas culturais, a busca pelas minhas raízes portuguesas e a experiência de viver num país com muitas qualidades e com extensas relações históricas com o Brasil têm sido muito gratificantes. Difícil é, contudo, dissociar a parte pessoal da profissional, pois, num mundo cada vez mais globalizado e integrado, o mercado procura profissionais não só técnicos, mas ricos culturalmente. Nesse âmbito, estágios internacionais, como este em que ora participo, são um diferencial na carreira de qualquer advogado. Assim, agradeço a oportunidade à CAL e à VdA.

Acredito, também, que, oportunidades como esta contribuem para uma maior cooperação luso-brasileira no âmbito do direito, que traz benefícios para ambas as ordens jurídicas, e, em razão das raízes históricas, pode e deve ser valorizada.

Por tudo isso, deixo os meus votos e o meu apoio para que iniciativas como esta sejam valorizadas e cada vez mais desenvolvidas.