Quidgest aposta em sistemas de apoio à decisão

Etiquetas:
___________________________________________________________________________________

A Quidgest organizou a Q-Day Conference 2014 no passado dia 18 de Setembro, na Culturgest, em Lisboa. Sob o tema Decidir Melhor, a iniciativa contou com a presença de oradores cujas empresas ou instituições apostaram na inovação e em diferentes modelos e sistemas de apoio à tomada de decisão.

A Casa da América Latina participou na discussão intitulada Como Decidir Melhor, que João Paulo Carvalho, Partner da Quidgest, identificou como um dos problemas estruturais do país. “A venda a retalho das nossas empresas, como por exemplo da Portugal Telecom, é um erro estratégico. Perdemos a capacidade de inovar e de sermos competitivos, perdemos o saber”, afirmou Carlos Matias Ramos, Bastonário da Ordem dos Engenheiros, ilustrando algumas dessas más decisões. “Há que fomentar doutoramentos no meio empresarial, aliar as empresas às universidades de forma continuada e convicta. Apenas 4% dos doutorados em engenharia estão na indústria e é muito pouco”, acrescentou. Um exemplo que referiu, a Fisip, empresa portuguesa no sector têxtil, apostou na contratação de recursos humanos desse tipo e evoluiu em termos conceptuais, na inovação e na criatividade.”

“Software é um serviço ou é uma indústria?” foi uma das questões que João Paulo Carvalho colocou à audiência, acabando por concluir que o software é a indústria do século XXI e nessa área continuam a existir oportunidades para crescer. “É uma indústria verde, não poluente, adequada à sociedade do conhecimento, potenciadora de desenvolvimento, detentora do menor custo por posto de trabalho e geradora de empregos bem remunerados (…). O grande desafio do empresário português é convencer o mercado a comprar ao melhor, e não ao maior, é criar oportunidades para a inovação, abrindo caminho para um futuro mais promissor para Portugal”, rematou.

A Quidgest actualmente desenvolve projectos na América Latina em mercados como El Salvador, Nicarágua e – desde mais recentemente – Peru.