Kuyeng apresenta oportunidades em construção

Etiquetas: , , , ,
___________________________________________________________________________________

A Casa da América Latina, o banco Montepio e a Embaixada do Peru promoveram uma reunião em Lisboa para empresas portuguesas do sector dos materiais de construção interessadas em desenvolver parcerias no Peru. O encontro teve lugar na sede do banco, no dia 31 de Julho de manhã, e foi também um meio de divulgação e convite para a feira de construção Excon, que terá lugar em Lima, capital do Peru, entre 30 de Setembro e 4 de Outubro próximos.

O principal orador da reunião foi Juan Luis Kuyeng, o Conselheiro Económico da Embaixada do Peru, que interveio logo a seguir a Cristina Valério, a Programadora Economico-Diplomática da Casa da América Latina, que apresentou a instituição e deu conta da sua “relação estreita” com as Embaixadas latino-americanas em Portugal, em particular a do Peru, que, acrescentou, tem dado mostras de renovado dinamismo desde a chegada de Kuyeng a Portugal.

A apresentação de Kuyeng, cuja tarefa em Portugal é procurar incrementar as exportações do Peru para Portugal e aumentar o investimento português no Peru, serviu para dar conta da “nova estratégia do Governo” peruano e afirmar a sua convicção de que “a única forma de Portugal crescer [economicamente] passa por internacionalizar”, inclusive para o Peru.

Com um “grande potencial de crescimento”, o Peru é, no parecer de Kuyeng, muito diferente do Brasil (que designou de mercado natural português na América Latina) por ter uma economia mais aberta, com “mais de 20 acordos internacionais” firmados. Há, por isso, “muita concorrência”, em particular na área da construção, “um dos pilares do crescimento do PIB do Peru”.

Kuyeng referiu o caso da Mota-Engil, empresa associada da Casa da América Latina, que é no Peru a concessionária do segundo maior porto do país, para além de ter interesses nas áreas metalomecânica e do imobiliário. Como forma de ilustrar o dinamismo da área da construção no Peru, o Conselheiro da Embaixada antecipou que será em breve lançado um concurso internacional para a construção de um Grande Aqueduto de Lima, “maior do que o Oceanário” de Lisboa. Aos empresários presentes, Kuyeng mencionou também o acordo firmado em Abril de 2014, entre Peru e Portugal, para evitar a dupla tributação.

Florbela Cunha, da Direcção Financeira e Internacional do Montepio, banco anfitrião desta iniciativa, apresentou a estratégia da instituição no acompanhamento e apoio à internacionalização das empresas portuguesas.

Visite a galeria multimédia deste evento.

Consulte as apresentações:
Montepio: Mercado do Peru
Juan Luis Kuyeng: O mercado da construção no Peru
Guia de investimento no Peru