CAL presente na Feira Nacional de Agricultura

Etiquetas: ,
___________________________________________________________________________________

A 51ª Feira Nacional de Agricultura realizou-se de 7 a 15 de Junho no CNEMA, em Santarém, e incidiu na temática da Produção Nacional, com o objectivo de realçar a importância dos produtos de origem portuguesa no sector agrícola, nomeadamente através da realização de actividades como seminários, colóquios, apresentações de produtos, entre outros.

A CAL interveio no seminário Estratégias de Internacionalização da Fileira Agroalimentar, que decorreu no dia 13 de Junho, organizado pela Confederação dos Agricultores de Portugal, no âmbito do projecto de internacionalização desses produtos, que a CAP se encontra a promover para o biénio 2014/2015.

Luís Mira, Secretário-Geral da Confederação dos Agricultores de Portugal, elogiou o incentivo à aquisição de produtos nacionais traduzido pelo projecto Portugal Sou Eu. Alertou, contudo, para a falta de uma estratégia concertada de apoio à internacionalização das empresas, uma convergência de interesses entre as entidades públicas e privadas, “todas a rumar para o mesmo lado, pois só dessa forma se manterá o equilíbrio da balança comercial do país e a recuperação da economia nacional”.

“Na sua estratégia de internacionalização, a CAP apostou na América Latina. Um mercado com cerca de 600 milhões de habitantes, um ambiente favorável ao investimento e ao investidor, com diferentes oportunidades de negócios, principalmente nos sectores das indústrias agro-alimentar, mineira, petrolífera, de infra-estruturas e turismo. Parece-me uma aposta muito acertada”, referiu Cristina Valério, Coordenadora Empresarial da CAL.

A primeira missão da CAP será à Colômbia, uma economia em aceleração, com um crescimento de 5,1% do PIB, uma taxa de desemprego de 8,5%, 1 milhão de barris diários de petróleo produzidos, uma inflação de 1,94% controlada e abaixo de todas as previsões. “Um país com sete áreas metropolitanas com mais de 1 milhão de habitantes, com 55% da população com idade inferior a 30 anos, qualificada, com poder de compra e apetência para produtos novos e requintados. Os produtos portugueses terão aqui o seu lugar, mas o patamar a ambicionar terá de ser o da excelência, procurando bons parceiros locais e apostando na qualidade”, acrescentou Cristina Valério.

“Para vender, muitas vezes é preciso primeiro comprar”, afirmou Juan Luis Kuyeng, conselheiro económico e comercial da Embaixada do Peru, numa intervenção em que apresentou a Feira Internacional Expoalimentaria 2014, a decorrer em Lima, no Peru, de 27 a 29 Agosto. Kuyeng convidou as empresas representadas a apresentarem naquela feira os seus produtos e a conhecerem potenciais parceiros com quem poderão negociar. “A Expoalimentaria é uma das maiores feiras da América do Sul, com cerca de 38.000 visitantes, 624 empresas e 660 milhões de dólares de negócios gerados, e um desses negócios pode ser o vosso”, referiu.