Andréa Zamorano, autora e “hamburgueira”

Etiquetas: ,
___________________________________________________________________________________

[A brasileira Andréa Zamorano é o rosto de Café do Rio – Hamburgueria Gourmet, uma marca de renome na restauração de Lisboa. A Casa da América Latina pediu à empresária e autora que escrevesse um pequeno texto sobre a sua experiência pessoal e profissional]

As improváveis vidas de Andréa Zamorano poderia ser o título de um filme, mas não é. É antes a sinopse da vida desta autora e empresária carioca que há 22 anos decidiu fazer de Lisboa um pouco sua.

Em Maio ou Junho de 2014 será lançado o meu primeiro romance pela Quetzal – A Casa das Rosas – e, em simultâneo, divido o meu tempo pelos três restaurantes que tenho, com a marca Café do Rio – Hamburgueria Gourmet.

Na aparente inconciliação dessas actividades construo o meu trabalho. Ora são os hambúrgueres, que há cinco anos alegram a vida e os estômagos dos lisboetas desde que criámos a primeira Hamburgueria Gourmet da cidade; ora são os textos que escrevo e espero que venham a alimentar o espírito dos leitores tão bem como os hambúrgueres.

O hambúrguer virou parte da nossa família. Vimo-lo sair do desprezo da fastfood para o luxo dos restaurantes mais caros do mundo. ormimos, sonhamos e acordamos com hambúrgueres desde que criámos a Hamburgueria (importando do Brasil a palavra que acabou por cair no goto).

A literatura é um amor bastante mais antigo, que aumenta na proporção em que um amigo me apresenta um novo autor, ou quando folheio um novo livro ou ainda ao regressar aos que nunca esqueço. Foi assim quando aos dezessete anos li a Casa Tomada de Cortázar, pela mão de um meu professor, que também se chamava Júlio – Júlio Aldinger Dalloz. Foram os Júlios que inequivocamente me marcaram ao me ensinarem que o estranho, o inusitado e o inesperado são belos. Nem sempre fácil, mas por certo, nada maçador. É essa a minha expectativa quando leio – ser surpreendida, arrebatada pela improbabilidade.

Esse é também o meu desejo quando escrevo ou faço hambúrgueres: apresentar o novo, o que não se espera; causar admiração em quem prova o que faço, seja na forma literária ou num naco de carne.

Este é o meu fio de Ariadne. Caminho pelos meus dois “mundos” agarrada a essa ambição de surpreender, proporcionar uma experiência diferente que é sobretudo resultado de um amor enorme que quero partilhar. Por isso, espero que apareçam nos meus restaurantes, um dia provem a minha literatura e sigam o meu recém-criado blog, onde misturo textos, escritores (com exibição de entrevistas gravadas a partir de Março) e hambúrgueres – numa improbabilidade contínua.

Andréa Zamorano
www.facebook.com/andreazamorano543
www.cafedorio.pt | www.oblogdohamburguer.pt